Comitê de enfrentamento à Covid vai começar a discutir Réveillon de Fortaleza

Um grupo multissetorial da gestão municipal está tratando de alternativas que festeje a data, mas evite aglomerações

Réveillon de Fortaleza no Aterro da Praia de Iracema
Legenda: Comemorações com grandes aglomerações, que ocorreram até 2019, estão descartadas, pelo menos por enquanto
Foto: Natinho Rodrigues

O Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19 no Ceará deve discutir na reunião desta sexta-feira (15) a possibilidade de realização de festa pública de Réveillon em Fortaleza. O assunto será levado pelo prefeito José Sarto, que integra o Comitê. 

A Prefeitura da Capital criou um grupo intersetorial para estudar as possibilidades de realização da festividade dentro das normas sanitárias.  

Uma das propostas em avaliação, conforme antecipamos nesta Coluna, é promover uma queima de fogos silenciosa na orla, mas que desse aos cidadãos e turistas a oportunidade de celebrar, sem haver aglomerações. 

Outras propostas estão sendo avaliadas, como a descentralização das comemorações por vários locais da cidade e até a possibilidade de shows musicais com artistas locais. 

Para Sarto, Fortaleza se tornou uma cidade referência na realização do Réveillon, gerando uma tradição conhecida até internacionalmente. Na avaliação dele, a cidade não pode perder esse recall. 

A decisão final sobre o assunto, entretanto, será tomada em conjunto entre Prefeitura e Estado, ouvindo as autoridades sanitárias. O tema será levado na reunião desta sexta, mas não deve ter uma decisão definitiva. 

Além de representar uma comemoração pelos avanços obtidos no combate à covid-19, o Réveillon de Fortaleza movimenta uma grande cadeia produtiva que fortalece o setor de comércio e serviço com os milhares de visitantes que vêm à cidade para as férias. Neste sentido, as festividades também devem ser um atrativo para a virada deste ano.