Camilo Santana dá sinais de candidatura ao Senado, mas reforça que decisão será só em 2022

Em entrevista, o governador voltou a criticar a Operação da PF contra Cid e Ciro Gomes: 'eles nunca foram chamados a depor'

Camilo Santana no estúdio da Verdinha
Legenda: O governador diz que a candidatura dele depende do projeto de Estado que integra
Foto: Fabiane de Paula

Há muitas dúvidas sobre o cenário de 2022 em relação a sucessão estadual. Entretanto, um tema que parece estar menos nebuloso é a possível candidatura do governador Camilo Santana (PT), ao senado. Embora ele esteja disciplinado a não confirmar a possibilidade, ele já dá sinais neste sentido. 

Na manhã desta quinta-feira, em entrevista ao programa Paulo Oliveira, na Rádio Verdes Mares, o governador reinteirou que vai tratar disso apenas o ano que vem, mas sinalizou que vai analisar e está “à disposição”.

“Não tenho projeto pessoal. Temos um projeto de Estado. É muito bom ver que o Ceará tem a melhor educação do Brasil. Isso é a esperança para nossa juventude. Temos um projeto sério, comprometido com o Estado e é isso que quero manter”. 

Camilo se encaminha para o último ano do segundo mandato com uma ampla aliança em torno do seu governo, mas o cenário de 2022 indica haver turbulências a serem superadas até chegar o embate nas urnas. 

Embora seja o mais provável de acontecer neste momento, a alianç entre o partido de Camilo, o PT, e o PDT de Cid e Ciro Gomes ainda não está fechada e tem arestas a serem aparadas.  

Além disso, outros partidos fortes da base de apoio como o PL e o PP estão em uma aliança nacional com o bolsonarismo. Os dois podem traçar novos caminhos para o pleito que se aproxima. Este assunto é um dos que terá um maior gasto de energia política para ser resolvido. 

Operação contra aliados

Sobre a operação da Polícia Federal que teve entre os alvos o senador Cid Gomes e o pré-candidato a presidente Ciro Gomes, aliados dele, o governador reforçou tratar-se de uma ação “estranha”. 

“Quero deixar claro que eu defendo que toda investigação ocorra, mas com isenção e seriedade. Me estranhou porque é um fato que aconteceu há uma década. Eles (Cid e Ciro) nunca foram chamados para falar qualquer coisa”.
Camilo Santana
Governador do Estado

“A imprensa informou que a Polícia Federal mandou cancelar a entrevista coletiva que haveria? Isso não é estranho”, questionou.