Tecnologia: Ceará atrai jovens com Amazon e Google

Programa C-Jovens já passou pela primeira, que capacitou 214 professores e agora conclui formação de 4 mil alunos de escolas profissionalizantes.

Legenda: Amazon Web Services é parceira do programa C-Jovens, do Governo do Ceará
Foto: Divulgação

Em parceria com a Amazon Web Services, o Governo do Ceará avança – na velocidade da fibra ótica – na execução do piloto do seu Programa C-Jovens, cujo objetivo é ousado e revelador da importância do empreendimento: formar, ao longo dos próximos cinco anos, cerca de 100 mil alunos de escolas públicas – entre as quais as 109 escolas profissionalizantes do estado – em técnicos em Rede de Computadores e em Informática.

Esta é só a primeira boa notícia. Há outra mais importante ainda: a primeira etapa do C-Jovens começou no último mês de março, quando, em parceria com a AWS, capacitou em Nuvem 214 professores e está, agora, concluindo a formação de 4 mil alunos das escolas profissionalizantes.

Tem mais: no segundo semestre deste ano, essa multidão de jovens alunos passará a integrar os quadros de algumas dezenas de empresas privadas que já se tornaram ou se tornarão parceiras do programa, entre as quais se incluem Angola Cables, Amazon, Ascenty, Brisanet, Embratel/Claro, Google, KPMG e Lanlinc.

Para o secretário Executivo de Comércio, Serviço e Inovação da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SEDET), Júlio Cavalcante, bacharel em Ciência da Computação pela Unicamp, a perspectiva é cada vez mais otimista em relação ao Programa C-Jovens, pois a ele também aderiu toda a comunidade ligada ao maravilhoso universo da tecnologia.
 
Para enfrentar e vencer esse gigantesco desafio – que é o de acelerar a inclusão da juventude cearense no mundo da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), preparando-a para o exigente mercado de trabalho que chegou – deram-se as mãos “o que há de melhor na inteligência do Ceará”, como faz questão de afirmar Júlio Cavalcante.

Tudo começou quando o Iracema Digital, uma organização sem fins lucrativos voltada para ações de educação e pesquisa na área da TIC, e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) propuseram ao Governo do Estado o que seus líderes denominaram “uma solução inovadora e ambiciosa”. 

A governador Izolda Cela e o secretário Maia Júnior nem pestanejaram: aceitaram na hora a ideia, que imediatamente foi posta em prática, começando pela adesão da Sedet, Secitece, Seplag, Seduc e Etice, às quais se juntaram a UFC, Uece, Sebrae, F iec/Senai, Senac e Instituto Atlântico. 

O C-Jovens será executado, a partir do segundo semestre, por meio de projeto de extensão das instituições de ensino e abordará as seguintes habilidades:

Raciocínio lógico, inglês profissional de TIC, empreendedorismo e inovação, comunicação e relacionamento interpessoal, além de Tecnologia da Informação e Comunicação. O jovem poderá escolher “uma trilha de formação específica com parceiros do programa”.

Como resultado, o programa espera a retenção de talentos pelo aumento da qualidade das oportunidades de emprego e empreendedorismo; melhor oferta poo profissionais de TIC tanto em quantidade quanto em formação curricular.