Fiec assina Memorando em Lisboa para incrementar pesca

O documento prevê um sistema de rastreabilidade e até a implementação do conceito de porto de pesca sustentável. Presidente da Fiec, Ricardo Cavalcante, cita Portugal como exemplo para o mundo

Legenda: A ministra da Pesca de Portugal fala ao lado do presidente da Fiec no evento de assinatura do Memorando de Entendimento
Foto: Divulgação

Ontem, em Lisboa, onde se encontra para participar da II Conferência dos Oceanos das Nações Unidas, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante, celebrou um Memorando de Entendimento com a Docapesca-Portugal para a promoção de cooperação técnica e formativa para gestão de infraestrutura de apoio à pesca.

O documento, que prevê, também, a participação do Sindicato da Indústria de Frios do Ceará (Sindfrio), estabelece, ainda, a organização da primeira venda do pescado, um sistema de rastreabilidade do pescado, a gestão da segurança alimentar e certificação, um sistema de informática de apoio à gestão e a implementação do conceito de porto de pesca sustentável.

Falando logo após a assinatura do memorando, o presidente da Fiec, Ricardo Cavalcante, disse que estava em Lisboa “buscando novos mercados, sendo Portugal um exemplo para o mundo e é com bons exemplos como este que temos de aprender”. Ele ressaltou que quer compartilhar “o que temos de relevante no Ceará, e juntos podemos ir muito mais longe, promovendo o desenvolvimento da indústria do mar e dos nossos países”.

Presente à solenidade, a ministra da Pesca de Portugal, Tereza Coelho, disse: 

“No dia em que começa, oficialmente, a II Conferência dosOceanos das Nações Unidas, temos a feliz coincidência de também estarmos reunidos aqui para promover e estreitar laços comerciais entre nossos dois países irmãos. Portugal é um dos maiores consumidores de pescado do mundo e, por isto, é muito importante continuarmos a aumentar nossa produção de forma sustentável”.

Por sua vez, o presidente da Associação da Indústria Alimentar pelo Frio (ALIF), Manuel Tarré, afirmou que a parceria celebrada no eventop possibilitará ganhos mútuos, com o aumento do comércio no setor pesqueiro para ambos os países.

“Acreditamos, que o Ceará poderá ser uma porta de entrada para todo o Mercosul e Portugal a parta de entrada para a União Europeia”, disse ele.

No próximo mês de agosto, uma comitiva portuguesa do setor da economia do mar desembarcará em Fortaleza para estreitar ainda mais os laços comerciais entre Brasil e Portugal.