Exportações cearenses: cresce o melão, mas castanha de caju lidera

As vendas de produtos do agronegócio cearense alcançaram em 2021 o equivalente a UD$ 454,7 milhões. Lagosta em terceiro lugar.

Legenda: o setor da fruticultura do agronegócio cearense segue avançando e conquistando mercados no exterior
Foto: Embrapa/Divulgação

No ano passado de 2021, o agronegócio cearense exportou o equivalente a US$ 454,7 milhões, dos quais US$ 80,07 milhões oriundos da venda de frutas, segundo informa a Secretaria Executiva do Agronegócio da Secretaria do Desenvolvimento Econômica do Estado, com base em dados do Comex.

Mas foi a castanha de caju, mais uma vez, que puxou as exportações do agro cearense, alcançando a marca de US$ 90,2 milhões, com um aumento de 7%.

Em terceiro lugar, atrás das frutas, ficou a lagosta, cujas exportações chegaram a US$ 64,3 milhões.

Do total exportado pelo agronegócio, US$ 57,03 milhões referem-se às vendas de melão (incremento de 13%) e US$ 10,4 milhões às de melancia (mais 25,8% em relação ao ano de 2020).

Em seguida, aparecem as vendas de banana, que equivaleram a US$ 7,9 milhões (aumento de 32,1%), e de manga, no valor de US$ 1,4 milhão (queda de 20,9%).

Caíram, também, as vendas de mamão, que equivaleram a US$ 406 mil (queda de 68,8%).