Energia solar: telhados do Ceará já produzem 254 MW fotovoltaicos

Segundo a Absolar, há no Ceará, hoje, 19.485 conexões operacionais, espalhadas por 182 dos seus 184 municípios. E mais: Fiec voa hoje no rumo de Dubai

Legenda: Cresce a cada diz o número de residências e negócios que geram sua própria energia
Foto: Natinho Rodrigues

Mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) revela que o Ceará já ultrapassa a marca de 19 mil conexões de geração própria de energia solar em telhados e pequenos terrenos. O Estado tem hoje 254,7 megawatts (MW) em operação nas residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

Essa potência instalada de geração própria de energia solar corresponde a 3,5% da geração de todo o parque solar fotovoltaico no país, o que mantém o Ceará na nona posição do ranking nacional da Absolar. 

O Estado dispõe hoje de 19.485 conexões operacionais, espalhadas por 182 cidades, ou 98,9% dos 184 municípios da região. São 24.884 consumidores de energia elétrica que já contam com redução na conta de luz, além de maior autonomia.

Desde 2012, a geração própria de energia solar já proporcionou ao Ceará a atração de mais de R$ 1,29 bilhão em investimentos, a geração de mais de 7,6 mil empregos e a arrecadação de mais de R$ 340 milhões de impostos aos cofres públicos.

Para Jonas Becker, coordenador da Absolar no Ceará, o avanço da energia solar no Estado é fundamental, também, para o desenvolvimento social, econômico e ambiental do Brasil, ajudando a diversificar o suprimento de energia elétrica do País, reduzindo a pressão sobre os recursos hídricos e o risco da ocorrência de bandeiras vermelhas na conta de luz da população.

“O Ceará é atualmente um importante centro de desenvolvimento da energia solar. A tecnologia fotovoltaica representa um enorme potencial de geração de emprego e renda, atração de investimentos privados e colaboração no combate às mudanças climáticas”, diz Becker.

FIEC TOMA O RUMO DE DUBAI

Ricardo Cavalcante, atual presidente, e Beto Studart, ex-presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) viajam na tarde desta terça-feira para Dubai, via São Paulo.

Eles integrarão uma missão empresarial da Confederação Nacional da Indústria (CNI) que visitará o Pavilhão do Brasil na Feira Mundial 2020 de Dubai, que, iniciada em outubro passado, prosseguirá até março de 2022. 

O Pavilhão do Brasil expõe tudo o que a ind[ustria e a agropecuária brasileiras produzem. Nesse pavilhão, há um estande do Ceará, que exibe, entre outras coisas, o Complexo do Pecém e o projeto do Hb de Hidrogênio Verde.

Ricardo Cavalcante, que hoje completa 60 anos de idade, e Beto Studart form convidados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).