Energia solar: R$ 21,8 bilhões em investimentos em 2021

Houve um crescimento de 49% em relação aos investimentos acumulados até o final de 2020 no País. Foram criados 153 mil novos empregos.

Legenda: Seguem crescendo os investimentos em parques de geração solar fotovoltaica, principalmente no Nordeste
Foto: Shutterstock

Levantamento inédito da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) apurou que 2021 foi um ano de recordes para a geração solar fotovoltaico no Brasil. 

O segmento atraiu R$ 21,8 bilhões em investimentos no ano passado, incluindo as grandes usinas e os sistemas de geração em telhados, fachadas e pequenos terrenos. Um crescimento de 49% em relação aos investimentos acumulados até o final de 2020 no País.

De acordo com a Absolar, os investimentos de 2021 criaram mais 153 mil novos empregos no Brasil, espalhados por todas as suas regiões. Desde 2012, a fonte solar fotovoltaica já movimentou mais de R$ 66,3 bilhões em negócios e gerou mais de 390 mil postos de trabalho. 

Em 2021, as contratações de pessoal cresceram 65% em relação aos empregos acumulados até o final de 2020.

O Brasil tem hoje 13 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, somando as usinas de grande porte (geração centralizada) e os médios e pequenos sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos (geração distribuída), o que já representa quase a mesma potência instalada na usina hidrelétrica de Itaipu, a maior do Brasil e segunda maior do planeta. 

De acordo com a Absolar, o Brasil saltou de 7,9 GW ao final de 2020 para 13 GW ao final de 2021, um crescimento de 65%, mesmo em meio a um ano desafiador de pandemia global.
Em 2021, o mercado solar fotovoltaico arrecadou em tributos mais de R$ 5,8 bilhões, ou seja, um acréscimo de 52% em relação ao total arrecadado até o final de 2020 em todo o país.

As usinas solares de grande porte são a sexta maior fonte de geração do Brasil, com empreendimentos em operação em nove estados brasileiros, nas regiões Nordeste (Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte), Sudeste (Minas Gerais e São Paulo) e Centro-Oeste (Tocantins). 

Os investimentos acumulados deste segmento ultrapassam R$ 23,9 bilhões.

No segmento de geração distribuída, são 8,4 GW de potência instalada da fonte solar, o que equivale a mais de R$ 42,4 bilhões em investimentos, R$ 10,6 bilhões em arrecadação e mais de 251 mil empregos acumulados desde 2012, espalhados pelas cinco regiões do Brasil. A tecnologia solar é utilizada hoje em 99,9% de todas as conexões de geração própria no País, liderando com folga o segmento.

O Brasil possui mais de 720 mil sistemas solares fotovoltaicos conectados à rede, trazendo economia, estando presente em todos os Estados brasileiros.

Ao somar a capacidade instalada das grandes usinas e da geração própria de energia solar, a fonte solar ocupa, agora, o quinto lugar na matriz elétrica brasileira. A fonte solar já ultrapassou a potência instalada de termelétricas movidas a petróleo e outros fósseis, que representam 9,1 GW da matriz elétrica brasileira.