Economistas alertam: 2022 começou mal para economia brasileira

Relatório da Asa Investments critica o populismo e diz que o discurso da esquerda para as eleições distancia-se da realidade fiscal.

Legenda: Inflação em alta, dólar e juros, também, e haverá eleição neste ano. O cenário é complicado
Foto: Kid Júnior

Atenção para o que estão a dizer os economistas Carlos Kawall, Gustavo Ribeiro e Leonardo Costa, da Asa Investments.

No relatório semanal que enviaram ontem para seus clientes, eles escrevem:

“O ano de 2022 mal começou. Mas começou mal. Já tivemos um discurso mais duro por parte do Fed (Federal Reserve, o Banco Central dos EUA), sugerindo que a alta de juros e a normalização do balanço da instituição podem ocorrer mais cedo do que o anteriormente esperado.

“A nova variante ômicron, mesmo que menos letal, deverá retardar a normalização das cadeias globais de suprimentos internamente. 

“Observamos aperto significativo de condições financeiras, o que deverá levar o país a uma nova recessão.

“Para completar, o discurso da esquerda para as eleições distancia-se da realidade fiscal. Este contexto sugere continuidade das pressões inflacionárias já existentes, e o BC (Banco Central) deverá continuar elevando juros.

“A atividade econômica em viés de baixa, o dólar em alta, a inflação não dando trégua, a sinalização de perenização do populismo fiscal e o retrocesso nas reformas não combinam com um mundo menos benevolente”.

Eis aí o desenho do hoje, do amanhã e do depois de amanhã, aqui no Brasil.