Cearense Santa Lúcia importa da Hungria linha especial de biscoitos

Alexandre Sales, CEO e sócio da empresa, informa que a Ziegler, maior marca de biscoitos do Leste Europeu, fornecerá máquinas e equipamentos que chegarão em abril e operarão em julho em Caucaia

Legenda: Alexandre Sales (E) celebrou o contrato com a Ziegler na Embaixada brasileira em Budapest.
Foto: Divulgação

Exclusivo! O empresário cearense Alexandre Sales, sócio majoritário do Grupo Santa Lúcia Alimentos, fechou ontem, sexta-feira, 19, em Budapest, na Hungria, a compra de máquinas e equipamentos para a instalação de uma linha especial de biscoitos na sua fábrica Nutrilar, em Caucaia, que produz casquinhas de sorvetes, biscoitos e massas pré-prontas para bolos.

Os equipamentos serão fornecidos pela Ziegler, famosa marca de biscoitos do Leste Europeu, cujos produtos são consumidos desde Portugal até os Emirados Árabes, como informou Alexandre Sales em contato direto com esta coluna.

Ele não revelou quanto está investimento na compra desses equipamentos, que serão entregues em abril do próximo ano e entrarão em operação em julho.

“Fabricaremos em Caucaia os biscoitos mais tradicionais da Europa e completamente inovadores no mercado brasileiro. Faremos linhas saudáveis, infantis e com sabores. Criaremos uma nova tradição e um novo conceito no mercado brasileiro de biscoitos. E teremos a exclusividade da fabricação desses produtos por dois anos”, assegurou Sales, que amanhã, domingo, retornará a Fortaleza.

Ele também informou que, inicialmente, sua fábrica de Caucaia operará uma linha da Ziegler, mas, uma segunda linha já está encomendada para entrega até dezembro de 2022. 

Durante as tratativas com a direção da Ziegler, Alexandre Sales recebeu apoio e assessoria da Embaixada do Brasil em Budapest. 

Ontem, após celebrar o contrato com o CEO da empresa fornecedora, Janus Ziegler, Sales comemorou na embaixada com os diplomatas Dario André Sensi, segundo secretário, e Zoltán Kérészy, responsável pelo setor comercial. 

ECONOMIA BRASILEIRA: O CENÁRIO É COMPLICADO

Na opinião dos economistas da Asa Investments, liderados por Carlos Kawall, “o populismo fiscal do governo, expresso na proposição de forte aumento de gastos em 2022 por meio da PEC dos Percatórios (ou PEC do Fura Teto), tem acarretado piora nas condições financeiras e contratado um PIB próximo de zero no ano que vem”. 

Eles entendem que “a erosão da âncora fiscal tem, ainda, efeitos mais estruturais que se manifestam por meio da elevação do juro de equilíbrio da economia (ou o seu nível neutro)”. 

Por isto, o time da Asa Investments está estimando um aumento desse juro estrutural de 3% para 4% em termos reais, “afetando fortemente a trajetória de longo prazo da dívida pública frente ao PIB”. 

Os economistas concluem assim: 

“Nesse contexto de retorno a uma restrição fiscal mais frouxa, a elevação da carga tributária poderá ser mais uma vez a solução para evitar trajetória de insustentabilidade da dívida pública. Os interesses, que de novo aprisionaram os orçamentos públicos, parecem ter vencido, mais uma vez”.

COMÉRCIO IRREGULAR DE PRODUTOS PARA ALIMENTAÇÃO ANIMAL 

Auditores fiscais federais agropecuários e agentes de inspeção de produtos de origem animal do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) no Ceará, realizaram nesta semana uma operação nos municípios de Juazeiro do Norte e Crato, para combater o comércio irregular de produtos para alimentação animal. 

A ação resultou na apreensão de 12.952 quilos de suplementos irregulares. Também foi identificada uma fábrica sem registro no Mapa e usando do Selo do Serviço de Inspeção Federal (SIF) falsificado. O proprietário, cujo nome não se revelou ainda, foi conduzido para a Polícia Federal, que abriu inquérito.

A operação, denominada Ronda Agro XII, do Programa de Vigilância em Defesa Agropecuária para Fronteiras Internacionais (Vigifronteira), é um desdobramento de uma ação realizada em março deste ano na região, e contou com o apoio e o suporte de segurança da Polícia Militar do Estado do Ceará.