Águas do S. Francisco voltarão em 20 dias ao Ceará

Depois de encherem as barragens paraibanas, águas correm em direção às do Rio Grande do Norte, incluindo a do Açu, onde chegarão no fim da próxima semana. E mais:1) Ibef-CE promoverá o Conef; 2) Grupo Atitude chegará ao Recife

Legenda: Válvulas dispersoras da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, em Açu (RN)
Foto: Divulgação

Uma fonte empresarial com livre acesso ao ministro e ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) informou a coluna que, na segunda semana de fevereiro, as águas do rio São Francisco voltarão a ser bombeadas para o Ceará, o que garantirá a recarga do açude Castanhão em volume suficiente para – nos próximos 90 dias – assegurar o abastecimento da população da Região Metropolitana de Fortaleza. 

Neste exato momento, toda a água do Canal Norte do Projeto São Francisco de Integração de Bacias está sendo transportada para a Paraíba, onde estão sendo cheias – muitas já vertendo – as barragens construídas naquele estado para o empreendimento.
 
Na última terça-feira, 25, depois de encher e fazer verter o açude Engenheiro Avidos, as águas do Projeto São Francisco estão agora a descer pelo Rio Piranhas-Açu em direção à barragem de São Gonçalo, no município paraibano de Sousa (PB), de onde viajarão em direção ao Rio Grande do Norte para encher as barragens de Oiticica, em Jucurutu, e Armando Ribeiro Gonçalves, em Açu.

Agora, atenção: a previsão de chegada das águas do São Francisco em terras potiguares é para o fim da próxima semana, em evento que terá a presença do presidente Bolsonaro e do ministro Rogério Marinho.
 
Assim, ao prometer para a segunda semana de fevereiro a retomada do bombeamento para o Ceará, o MDR aposta numa viagem rápida das águas do Projeto São Francisco até seu destino final no Rio Grande do Norte – a gigantesca barragem do Açu.
 
Quando isso acontecer, o ministro Rogério Marinho poderá celebrar uma vitória importante: a de ter alcançado o objetivo do Projeto São Francisco: levar água do Velho Chico, desde Cabrobó, ao Ceará, ao Oeste da Paraíba e ao Oeste do Rio Grande do Norte, o que parecia impossível nos idos de 2004, quando o empreendimento foi concebido.

Lamentavelmente, ao mesmo tempo em que essa boa expectativa se registra, a Chesf está liberando e mandando para o mar 4 mil m³ de água doce por segundo. É produto do excesso de acumulação na barragem de Sobradinho, que está recebendo as águas das enchentes causadas pelas fortes chuvas que caíram sobre as nascentes do rio São Francisco e de seus afluentes.

É algo surreal, porque, neste instante, o açude Castanhão precisa de receber 100 milhões de m³ nos próximos três meses para garantir o abastecimento da RMF, o que só será possível se o bombeamento for retomado. 

O MDR não tem culpa por essa gigantesca perda de água do São Francisco. A culpa é da Agência Nacional de Águas (ANA), cujo corpo técnico parece insensível para o drama humano. Ora, se a Chesf –que administra a cascata de barragens do São Francisco – libera para o oceano 4 mil metros cúbicos de água por segundo e se a necessidade do Ceará, da Paraíba e do Rio Grande do Norte é de 50 metros cúbicos por segundo, por que não determinar uma nova outorga?

Hoje, a ANA outorga apenas 26 m³ por segundo para os dois canais (Norte e Leste) do Projeto São Francisco. 
Diante do excesso de água em Sobradinho e da defluência de 4 mil m³ por segundo que se registra hoje, pergunta-se: perderam neurônios os diretores da ANA? 

IBEF-CEARÁ PROMOVERÁ CONEF EM MAIO EM FORTALEZA 

Vem aí, nos dias 12 e 13 de maio, o Confef – Congresso Nacional de Executivos de Finanças. Ele será promovido pela seção cearense do Instituto Nacional dos Executivos de Finanças (Ibef-Ceará).
 
Durante o evento serão entregues o Prêmio Equilibrista e o Prêmio IBEF-Ceará, que reconhecem os melhores executivos, empresários e personalidades que fazem a diferença no cenário econômico cearense.

O Conef é um evento nacional que ocorre anualmente (em 2020 e 2021, por causa da pandemia, ele não se realizou) em formato de sistema de rodízio entre as seccionais do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças distribuídas no Brasil. 

Tradicional entre os executivos financeiros do país, o Conef aborda questões da economia mundial, além de temas de interesse dos empresários, das organizações e dos CFOs - Chief Financial Officer. 

“Estamos muito felizes de poder sediar em Fortaleza mais um Conef. Será uma oportunidade para debatermos sobre a nova economia, neste cenário pós-pandemia, assim como as mudanças com as quais os executivos financeiros vêm lidando nos últimos tempos. Com uma agenda rica de convidados locais e nacionais, retornaremos com o Prêmio Equilibrista do Ibef-Ceará, assim como também contaremos com o Prêmio Ibef, ambos concedidos a personalidades cuja atuação, local e nacional, apresentaram um desempenho marcante na condução de seus negócios e voltados ao desenvolvimento da economia brasileira.

Certamente, será um grande evento”, projeta a presidente do Ibef Ceará, Renata Paula Santiago.

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO: METAS DA ACOMAR-CE

Estreitar relações com o setor de materiais de construção, incentivar empresas na realização de negócios e ampliar o diálogo com os empresários em 2022 – eis alguns dos objetivos da Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Ceará (Acomac-Ceará). 

Neste ano, a entidade promoverá eventos aqui e participará de outros, entre os se destacam quais a Expo Revestir, Feicon, Ecomac Nordeste, Prêmio Amanco e Prêmio Acomar-Ceará.

Para Lavanery Campos, presidente da Acomac-Ceará, 2022 será um ano de “grandes novidades no setor de materiais de construção, que já opera no modo da inovação tecnológica, tirando proveito da retomada das atividades econômicas”.

GRUPO ATITUDE TERÁ FILIAL EM RECIFE

Anuncia o cearense Grupo Atitude, que atua na administração de condomínios, serviço de segurança armada e mão de obra terceirizada: neste 2022 cumprirá seu plano de expansão rumo às praças do Nordeste.
 
"Abriremos uma filial em Recife neste primeiro semestre. E até o fim de 2023 deveremos ter unidades em todas as capitais da região", diz o sócio e CEO da empresa, Paulo Aragão Filho.
 
Hoje, além do Ceará, o Grupo Atitude também atua na Paraíba, Piauí, Maranhão, Pernambuco, Sergipe e Rio Grande do Norte.