Na 'era Vojvoda', Fortaleza marcou quase 70% dos gols em organização ofensiva; entenda

Desde a chegada do técnico argentino, o Fortaleza acumula 11 vitórias, cinco empates e apenas duas derrotas. Resultados obtidos pela forma propositiva e ofensiva que o time se apresenta em campo

Vojvoda passa orientação ao time do Fortaleza na beira do campo
Legenda: Vojvoda tem ótimo início no Fortaleza
Foto: Thiago Gadelha/SVM

Uma equipe propositiva, com DNA ofensivo, que busca o ataque o tempo inteiro e gosta de ser protagonista, tomando controle das ações do jogo. Quando foi apresentado como novo treinador do Fortaleza, o técnico Juan Pablo Vojvoda chegou com tais credenciais. Na prática, é o que de fato tem se visto.

O Tricolor tem feito bons jogos, com atuações seguras e convincentes. É um time que toca a bola de forma consciente, com movimentações coordenadas e os jogadores sabem perfeitamente o que devem executar. As chances de gol são bem construídas, de pé em pé. É muito legal de ver. E os números comprovam isso.

Quase 70% dos gols marcados pelo Fortaleza na 'era Vojvoda' foram originados em organização ofensiva, momento do jogo em que a equipe tem a posse de bola controlada e busca, a partir de movimentações e trocas de passes, envolver o adversário para a criação de situações ofensivas com o intuito final de marcar gol.

Ao todo, desde que Vojvoda assumiu o comando do Fortaleza, o Leão do Pici marcou 43 gols em 18 jogos. Deste total, 29 (precisamente 67%) foram em organização ofensiva.

O número evidencia como o Tricolor tem mostrado repertório ofensivo para construir jogadas perigosas de ataque e situações de finalização ao gol do adversário, conseguindo também concluir uma boa quantidade destas chances.

O Fortaleza de Vojvoda se adapta ao contexto do jogo, mas tem um claro perfil de vocação pelo ataque e tem demonstrado bastante qualidade para isso.