Fortaleza amplia investimento no CIFEC, mapeia novos mercados e contrata 9 atletas para base

O clube integrou o setor de inteligência com o departamento de captação e trouxe reforços

Atletas do Fortaleza comemoram gol agradecendo aos céus
Legenda: O Fortaleza é o líder do Campeonato Brasileiro de Aspirantes com 100% de aproveitamento
Foto: Karim Georges / FEC

A diretoria do Fortaleza ampliou o investimento no Centro de Inteligência (CIFEC) e conseguiu ser mais ativo no mercado da bola. Com a integração do setor de captação nas categorias de base, a gestão realizou a contratação de nove jovens atletas para a temporada 2021.

O processo é possível após quase dobrar os valores destinados em software de scout, mapeamento de atletas e estrutura física para os analistas do equipamento. O Diário do Nordeste apurou que o valor gasto no ano vigente até o momento, sem a inclusão de receita com pessoal, foi de R$ 400 mil.

Assim, os frutos chegam para o elenco principal e as divisões de acesso. Com expansão dos setores de análise, a equipe teve negociações com jogadores do mercado sul-americano para reforçar o plantel do técnico Vojvoda e ainda apostou em joias.

Reforços do Fortaleza para a base em 2021:

 

O processo é externado também no baixo investimento necessário para a contratação de três atacantes: Edinho (ex-Daejeon Hana Citizen, da Coreia do Sul), o chileno Ángelo Henríquez (ex-Universidad de Chile-CHI) e o argentino Valetin Depietri (ex-Santamarina-ARG).

Ángelo Henríquez com semblante sério pelo Fortaleza
Legenda: O chileno Ángelo Henríquez foi contratado pelo Fortaleza pós análise do CIFEC
Foto: Leonardo Moreira / FEC

Em paralelo, a equipe do Brasileirão de Aspirantes mantém 100% de aproveitamento após seis jogos, sendo líder isolada do Grupo B com 13 gols marcados e apenas três sofridos.

“A busca por atletas jovens na atual temporada faz parte do processo de análise mercadológica, de enxergar atletas jovens de projeção, mas que ainda não valem milhões, trazer pro clube, potencializar e buscar o retorno técnico e financeiro”.
Erisson Matias
Gerente do Departamento de Inteligência da base do Fortaleza

Dentro da metodologia de trabalho, o clube também consegue abastecer o profissional a longo prazo. O roteiro foi o mesmo adotado com o atacante Igor Torres. Em fevereiro, o Fortaleza anunciou a compra de 75% dos direitos econômicos do atleta junto ao Taboão da Serra/SP por R$ 200 mil. Hoje, o jogador tem vínculo até 2024 e soma dois gols na Série A do Brasileiro.

"Nosso maior desafio é garantir a permanência dos atletas no clube, ou seja, não perder para clubes de maior poder financeiro. Mapear e prospectar jovens para que possamos através da metodologia própria do clube formar o atleta e o cidadão dentro do Fortaleza", completou Erisson Matias.



Assuntos Relacionados