Enfermeira viraliza ao fazer 'chá de revelação' de teste de DNA em Pernambuco

Pai do bebê afirmou que não o criaria até saber se a criança era mesmo dele ou não

Chá revelação de DNA em Pernambuco
Foto: reprodução/Instagram

O chá de revelação da enfermeira Millena Brandão foi mais movimentado do que o esperado. O evento, montado para divulgar o resultado de teste que comprovava que o filho dela, o pequeno Otto Brandão, de 5 meses, era mesmo filho do ex-companheiro teve grande repercussão e viralizou nas redes sociais. As informações são do portal G1.

Moradora de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, Millena realizou uma festa nos moldes tradicionais: havia bolo, docinhos e decoração com sinais de interrogação — apenas o "questionamento" era diferente do usual. "E o pai de Otto, que pediu o DNA, e eu resolvi fazer uma festa. Se o resultado for positivo, é prata. Se for negativo, é azul", disse em um dos vídeos publicados sobre o evento.

Logo em seguida, ela, com a criança nos braços, estoura um balão, que deixa escapar diversos confetes prateados. "Teve repercussão na Alemanha, Inglaterra, Japão, EUA...", contou a mãe, acrescentando que os vídeos rodaram ainda por outros países.

A ideia do "chá revelação de DNA" foi dada por um amigo da enfermeira, que enviou fotos de outro chá para que Millena se inspirasse. O resultado do exame ficou pronto no dia 26 de fevereiro, quatro dias antes do evento, realizado em 2 de março.

"Quando a gente foi fazer o exame, a mulher falou que só podíamos pegar eu e o pai juntos. Mas quando ficou pronto, ela falou que cada um podia pegar a sua via, então fui lá e peguei a minha. Não sei se o pai já pegou a via dele. Acredito que ele ficou sabendo que era o pai através da festa", relatou a mulher.

Os pais de Otto são naturais de Iati, no Agreste pernambucano. O pai, contudo, mora em Osasco, no estado de São Paulo. Juntos desde dezembro de 2019, a mãe da criança morou com o ex-companheiro na cidade paulista por dois meses.

Teste de DNA comprovando paternidade
Legenda: Teste de paternidade conclui que Otto era mesmo filho do ex-companheiro da enfermeira.
Foto: arquivo pessoal

Aos seis meses de gravidez, Millena voltou para Pernambuco. Antes de retornar, o pai da criança afirmou que não a criaria até saber se o bebê era filho dele ou não. "Eu dizia para ele que tinha certeza absoluta que o filho era dele. A resposta dele a respeito disso era que tinha dúvidas e não tinha quem fizesse ele registrar o menino sem o resultado do exame de DNA", disse a mãe. "Nossa, eu chorei com isso, porque até antes ele estava feliz com a gravidez e mais feliz ainda por ser menino", acrescentou.

O pai de Otto entrou em contato com a enfermeira na última sexta-feira (5) avisando que o advogado dele estabeleceria contato com ela.