Chuva de meteoros pode ser vista do CE na quarta (11) e quinta (12); veja horário e como observar

Auge do fenômeno é nesta quarta-feira (11). Não são necessários equipamentos específicos; o fenômeno também será transmitido pela Nasa

Chuva de meteoros
Legenda: O Brasil poderá observar cerca de 50 meteoros por hora
Foto: Romário Fernandes/ Canal Astronomicamente

A chuva de meteoros batizada de Perseidas ocorre desde 17 de julho e segue até 24 de agosto, mas, nesta quarta (11) e nesta quinta (12), haverá maior condição de visibilidade. Cerca de 120 meteoros poderão ser observados por hora no hemisfério norte da Terra. 

De acordo com a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (Bramon, na sigla em inglês Brazilian Meteor Observation Network), no Brasil, serão somente cerca de 50. 

O fenômeno poderá ser melhor observado na região Norte. No entanto, ainda poderá ser visto de quase todo o País — ainda que com baixa intensidade, exceto no Rio Grande do Sul. Em Fortaleza, serão até 47 meteoros por hora

Veja como será a chuva no Brasil:

Info com Taxa média de meteoros por hora para a Perseidas
Legenda: Taxa média de meteoros por hora para a Perseidas em 2021 em condições ideais de observação
Foto: Bramon

Que horas poderá ser observada e quanto tempo deve durar

Conforme a Bramon, a maior intensidade dessa chuva será na noite entre quarta e quinta, especialmente, nas últimas horas da madrugada de quinta.

Nesta noite, também será possível observar alguns Perseidas no fim da madrugada, mas em menor quantidade.

Segundo o professor de astronomia do Colégio Militar do Corpo de Bombeiros do Ceará (CMCB), tenente Romário Fernandes, o ideal é realizar a observação entre a meia-noite e o nascer do sol.

Ele explica que a passagem de cada meteoro deve durar menos de um segundo. 

Onde observar

O professor Romário recomenda que a observação ocorra em um local afastado dos centros urbanos para evitar a interferência de luzes artificiais. 

Neste link será possível acompanhar a transmissão ao vivo feita pela Nasa — agência espacial dos Estados Unidos.

Como será o fenômeno no céu

Conforme a Bramon, no Brasil, os meteoros parecem mais longos e lentos. Isso ocorre porque, como o radiante dessa chuva é em uma constelação bastante ao Norte no céu, eles atingem a atmosfera sobre o Brasil de forma mais rasante.

Assim, eles percorrem uma distância maior em altitudes mais elevadas da atmosfera.

Veja algumas chuvas pelo Brasil em anos anteriores:

O que é a chuva de meteoros Perseidas

Primeiro, é necessário entender o que é um meteoro - conhecido popularmente como “estrela cadente”. O fenômeno se caracteriza pelo momento em que a Terra, durante o movimento de rotação, cruza com os destroços deixados por cometas ou asteroides. 

Esse encontro faz com que alguns fragmentos atravessem a atmosfera terrestre em alta velocidade, formando, assim, as chuvas de meteoros.

No caso da chuva de meteoros Perseidas, a Terra atravessa a trilha de detritos do cometa 109P/Swift-Tuttle - que gira em torno do Sol a cada 133 anos.

A chuva recebeu esse nome em homenagem à constelação de Perseu. 

Como as chuvas de meteoros se formam

O professor Romário Fernandes explica que o cometa Swift-Tuttle possui muito gelo e sofre uma desintegração parcial quando se aproxima do Sol. 

“Boa parte desse gelo acaba sublimando, ou seja, passando direto da fase sólida para a gasosa devido à temperatura mais alta perto do Sol. Deste modo, ele vai se desintegrando e deixando para trás os rastros de gelo, poeira e rochas”, explica. 

Ele acrescenta que a Terra atravessa essa região orbital todos os anos e os detritos que ficaram pelo caminho são atraídos pela gravidade. 

"Eles são muito pequenos, do tamanho de um grão de feijão. Quando entram na atmosfera, são destruídos. Isso porque ocorre um processo de aquecimento até ficar tão quente para gerar esse fenômeno luminoso”, esclarece.

Qual a frequência deste fenômeno 

Segundo a Bramon, meteoros são comuns e podem ser vistos com frequência em todas as noites, mas, em certas épocas do ano, a Terra atravessa uma área do céu que possui uma quantidade maior destes rastros.

A Perseidas, por exemplo, ocorre todos os anos, entre os meses de julho e agosto. 

Como observar

Conforme a Bramon, essa é uma das atividades astronômicas mais simples e pode ser feita por qualquer pessoa que tenha uma boa visão, sem necessidade de equipamentos. 

“Basta olhar para o céu na hora certa e apreciar a passagem dos meteoros”, informa.

Veja as orientações:

  • Procure um local escuro, preferencialmente longe das luzes das cidades e que ofereça uma boa visão do céu;
  • Se for possível, desligue todas as luzes ao redor. Isso ajudará sua vista a se adaptar à pouca luminosidade se tornando mais sensível, possibilitando a observação dos meteoros mais tênues. 
  • Apesar do radiante da Perseidas ficar na Constelação do Perseu, você não precisa estar olhando na direção dessa Constelação para ver seus meteoros, pois eles aparecerão em todas as partes do céu, apenas parecendo vir da direção da Constelação.