Ménage à trois – um é pouco, dois é bom e três é festa?

O conteúdo desta coluna sobre sexualidade e sexo é recomendado para maiores de 18 anos.

Foto: michaelheim/ Shutterstock

Está cheio de gente querendo participar dessa festa onde envolve uma aventura sexual com a troca de casais e muitas consequências.

A expressão é de origem francesa. Significa um domicílio habitado por três pessoas.

Atualmente, o “ménage à trois”, também conhecido de “threesome” é uma prática adotada por muitos casais, tanto hetero como homossexuais, em relações carnais onde estão envolvidas três pessoas.

Esse tipo de fantasia, quando é proposto por um dos pares, deve existir no contexto muito bem pactuado e dentro do consenso. Ou seja, a questão fundamental entre o casal que resolve seguir por esse tipo de dinâmica é que haja, antes, uma conversa bem aberta sobre o interesse nessa prática mais ousada.

Essa brincadeira para adultos, está sendo bem evidenciada e foi pauta, nessa semana, na novela da Globo: Um lugar ao Sol.

A trama envolvia os personagens de Andrea Beltrão (Rebeca) e Daniel Dantas (Túlio). A ex-modelo e gata, Rebeca, é convidada para um jantar com um casal de amigos do marido (candidato a galã global e o maior “comedor” da novela das 21h – “Afe! Me poupe!”) que ela não conhecida.

Legenda: Na novela, Rebeca pediu divórcio após ser surpreendida pelo mardio com proposta de encontro sexual com outro casal
Foto: Reprodução/ TV Globo

A cena ocorre num restaurante do hotel de alto luxo, onde os casais começam a trocar conversas e é sugerida à Rebeca, de forma sutil, a dinâmica sexual. Impactada, a “ficha” cai na mesma hora, além do que ela percebe um pacote de camisinhas e o “novo amigo” pega na perna dela. Imediatamente, levanta e pede a separação.

O marido alega que a proposta foi uma forma que encontrou de salvar o casamento. Pasme!

Esse tipo de aventura em sexo com a troca de casais, pode trazer um sério risco de complicações afetivas, principalmente se há um casal que tem uma história.

Portanto, o pacto é condição determinante para exercer a prática entre adultos confiantes e conscientes, senão, a ressaca é medonha e os caquinhos emocionais não conseguem mais juntar! Haja investimento em terapias!

Um detalhe super, mega, blaster importante: preservativo!

Se topou a brincadeira, tem que ter preservativo e, não pode faltar, de jeito nenhum. Cada troca de casais e cada orifício é uma camisinha diferente!

Ninguém aqui é inocente e sabe muito bem que com uso de contraceptivos e preservativos evitam-se tanto a gravidez, como doenças sexualmente transmissíveis.

Outra coisa, para exercer o ménage, o trio tem que estar na festa mesmo e não deixar ninguém de fora. Não é um faz e outro fica olhando. Tem que participar até o fim.

Regras para descer pro play

  • A rainha das regras é o consentimento, ainda vestidos!
  • Use preservativo para todas as vezes que houver a troca dos casais e a cada entrada nos orifícios;
  • Toda a atividade e atuação do trio deve ser combinada. Tipo: se o trio forem, por exemplo, 1 homem e 2 mulheres, as mulheres devem acertar os limites do momento e, isso, também, se forem 2 homens e 1 mulher. Carícias, beijos e encostos tem que ser acordado.
  • A troca pode variar entre casais conhecidos e desconhecidos. Quem adota essa conduta, sabe bem os lugares e quem são os casais que aparecem por lá. Tudo muito discreto. 

 

Onde fica o terceiro envolvido na relação quando acaba a transa?

Não fica. Tem que pegar suas coisinhas e tchau!

Deve saber brincar, segurar a onda, porque não desceria para o play.

Mais fofoca do assunto...

Dizem que, quando acaba a dinâmica, a relação do casal adepto à prática tem um sexo mais quente em outros dias.

Dizem que os homens nem sempre são ativos no “ménage à trois” com duas mulheres, porque eles gostam mesmo é de ver as mulheres em carícias e fazendo sexo oral uma na outra.

 

“Ménage” espalhados pelo mundo das letras, da TV e do cinema:

 

Letras

O suíço Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) foi praticante e incentivador do sexo a três.

O italiano conquistador Casanova (1725-1798) fez parte de vários trios e rendeu muitos filmes.

O filósofo francês Jean-Paul Sartre, sua mulher, Simone de Beauvoir, e a estudante Bianca Bienenfeld.

TV

A novela da Rede Globo, “Um lugar ao Sol”, trouxe o tema com os personagens de Andrea Beltrão e Daniel Dantas.

Reality - A discussão que envolvia o dançarino Dynho, a esposa Mirella e a terceira Sther num reality de uma emissora de TV, quando ele convida a participante a juntar-se a esposa para a troca de casais. Separação foi anunciada nessa semana pela esposa.

Os seriados americanos, “Sex Life”, “Gossip Girl” e “Sex and the City”.

No cinema

“Vicky Cristina Barcelona” – de Woody Allen

“E Sua Mãe Também” – de Alfonso Cuarón

Opinião da Colunista

Olha, eu sou muito sincera e acho que essa brincadeira é mesmo para adultos, que sabem bem o que querem, o que estão fazendo e até onde podem chegar. Adultos que irão compreender que podem ceder quando o outro quiser fazer a troca ou quando um deles cansar e o outro não.

Portanto, essa história é pesada demais e, sinceramente, não sei, como mulher, se tem alguma mulher no mundo que suporte, verdadeiramente, essa brincadeira até o final.

Mulher gosta de ser amada, de sentir-se especial e desejada.

Quando tem sentimento envolvido, não é nada agradável ver, com seus próprios olhos, o seu parceiro ter tesão por outra, mesmo que isso justifique um ganho de estímulo (o que considero que a solução seja outra!).

Tenho certeza de que a brincadeira dói no coração e acaba com a “cabeça” da mulher.

Pode quem quiser justificar que o sexo a três pode ser muito prazeroso, mas tem alguém que paga caro por isso e vai ter ciúmes, gerar insegurança, enfim, vai tornar o relacionamento bem poluído.

Na boa? Essa festinha eu acho uma cilada!


*Esse texto reflete, exclusivamente, a opinião da autora.