Gustavo Mioto mostra que forró e sertanejo dão certo juntos em álbum "Mistura"

Sertanejo mergulha no forró com Dorgival Dantas, Calcinha Preta e Raí Soares do Saia Rodada

Dorgival Dantas fez interpretação de
Legenda: Dorgival Dantas fez interpretação de "Contramão" de Gustavo Mioto
Foto: Reprodução/YouTube

Ele já é destacado por ter uma das vozes mais diferentes do meio sertanejo. Em 2021, Gustavo Mioto renova o forró com um trabalho marcado por hits — das duas últimas décadas — do gênero nordestino. Acompanhado da sanfona de Dorgival Dantas e pelas vozes marcantes da Calcinha Preta, além de Raí Soares do Saia Rodada, o paulista fica mais próximo do Nordeste, novamente, com o álbum "Mistura".

Dono de uma voz doce e pop, distante dos graves do mundo sertanejo, Gustavo Mioto imprime leveza ao se aproximar dos arranjos de forró. No novo EP audiovisual, o sertanejo faz casadinhas com ídolos do forró: uma canção da carreira dele e uma do convidado. Em "Contramão", lançada em 2018, parece que a música foi feita por Dorgival Dantas. O paulista conseguiu um feito em tirar o sanfoneiro de casa para participar do projeto audiovisual, pois ele não atende a qualquer um.

Em contrapartida, Gustavo Mioto canta com Dorgival Dantas a canção "Tarde Demais". Com um toque de guitarra e baixo, a música ganha uma abertura única na voz do sertanejo. Depois da introdução, a levada da sanfona e bateria do forró eletrônico convidam o ouvinte a dançar. 

Veja feat com Dorgival Dantas:

Aos 23 anos, Gustavo Mioto mostra que foi afetado pelo forró dos anos 2000. Ele convidou a banda Calcinha Preta e Raí Soares para participar do projeto. Os nomes são conhecidos por uma geração de idades variadas, mas com força na faixa etária do sertanejo. 

Com Daniel Diau e Silvânia Aquino, em "Hoje a Noite", versão de "Alone", famosa na voz de Celine Dion, é possível ver um Mioto ainda mais romântico. As letras de forró eletrônico de décadas passadas não são tão carregadas de objetos ou situações da época. As composições são carregadas apenas de amor. Isso deixa as canções atemporais. O reflexo disso é que o feat parece ter acabado de ser criado para Gustavo Mioto. Em "A Lua E Eu", com Paulinha Abelha e Bell Oliver, o romantismo é ainda mais aflorado. 

Veja parceria com Calcinha Preta:

Claro, o piseiro marca presença, em "Mistura". A batida feita em playback, amado por uns e odiado por outros, está lá, na canção inédita "Ama ou Não Ama". Rai Soares também leva o tom dos "forrozões" de praça pública no dueto de "Fake News". Já em "Bebe E Vem Me Procurar", o sertanejo deixa a música com cara de pop. 

Pelo entusiamo, interpretação dos convidados e de Gustavo Mioto, as músicas foram, sim, decoradas, estrofe por estrofe, por cada um deles. Isso mostra bem a relação de consumo musical do trabalho dos colegas.