Troca de ataques entre candidatos ao segundo turno de Fortaleza passa dos limites

fotografia

Campanha eleitoral é momento em que os que se propõem a ocupar os cargos públicos fazem o debate político que inclui os temas de interesse da cidade e até mesmo o confronto direto, com direito a trocas de acusações e tentativas de desgastar a imagem do adversário. Faz parte do jogo. Entretanto, o nível do debate público na disputa pela Prefeitura de Fortaleza nesta semana decisiva está em um nível insuportável de trocas de acusações e ofensas. Esse tom de embate personalístico acaba deixando de lado o eleitor e até mesmo o compromisso com o Município. O tiroteio tem sido tamanho que o cidadão está até ficando sem entender os contextos de cada situação. É preciso haver um chamamento à racionalidade para incluir o eleitor no jogo.

Grandes temas

Enquanto os ataques se multiplicam, temas importantes para o futuro da cidade vão ficando em segundo plano. E, seguindo a lógica das campanhas eleitorais no Brasil, perde-se a chance de debater melhor as políticas públicas que vão impactar a vida do cidadão na Capital cearense.

Foco no Legislativo

Os candidatos Sarto Nogueira (PDT) e Capitão Wagner (Pros), antes mesmo da eleição, fazem sinalizações para a bancada de vereadores eleitos. No caso de vitória de Sarto, com maioria eleita por sua coligação no Legislativo, o diálogo tende a ser mais fácil porque ele já teria maioria na Casa. De qualquer forma, ele enfrentará uma oposição maior do que ocorreu com o prefeito Roberto Cláudio. Já no caso de eleição de Capitão Wagner, o desafio será maior, pois a coligação dele elegeu apenas 12 vereadores, do total de 43. É possível que na próxima legislatura a Câmara Municipal ganhe mais relevância no debate público. A conferir.

Em Caucaia

Naumi Amorim (PSD), que busca a reeleição no município de Caucaia, viveu momentos de turbulências na Câmara Municipal da cidade, em sua primeira gestão. Chegou a ser alvo de uma CPI que não deu em nada. Mas pretende ter uma relação diferente com a Câmara, caso seja reeleito neste segundo turno. Ele elegeu 18 aliados para as 23 cadeiras na Câmara. Em entrevista ao PontoPoder Eleições, ele tratou de propostas.

Segurança

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o envio de tropas federais para reforçar a segurança em Fortaleza e Caucaia no dia da votação. Apesar das muitas notícias de insegurança, no primeiro turno, o pleito nas duas cidades ocorreu sem o registro de ocorrências mais graves, pelo menos do que foi registrado pelas forças policiais que atuaram no pleito.