Em primeira reunião com ministro da Saúde, governador busca apoio para abrir Hospital do Jaguaribe

Camilo vai a Brasília para o primeiro encontro que tratará de vacinas, homologação de novos leitos e apresentação do Hospital que está com obra pronta e em fase de compra de equipamentos

O governador Camilo Santana e o secretário da Saúde, Dr. Cabeto, apresentam dados relativos à covid-19
Legenda: Camilo Santana e Dr. Cabeto vão a Brasília para o encontro com Marcelo Queiroga

O governador Camilo Santana terá nesta quinta-feira (27), às 19h, a primeira reunião direta com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, desde que o médico tomou posse no Ministério. O encontro tem como prioridade buscar apoio do Governo Federal para colocar em funcionamento o Hospital Regional do Vale do Jaguaribe que está com a obra pronta, mas encontra-se na fase de compra de equipamentos. 

O gestor cearense teve um primeiro contato com o ministro, entretanto, em conjunto com os governadores de Estado.

O encontro será para tratar diretamente das demandas dos cearenses no que se refere a pandemia e acontecerá presencialmente, em Brasília. O secretário de Saúde do Estado, Dr. Cabeto, acompanha o governador. 

Normalmente, as reuniões entre governadores e ministro têm tratado de dois temas fundamentais: a vacinação da população, com as previsões de novos lotes a serem enviados ao Estado, e também o reforço na estrutura hospitalar para atender à população, com a homologação de novos leitos pelo Ministério. 

Ministro da Saúde Marcelo Queiroga usando máscara de proteção facial
Legenda: Ministro da Saúde

Nesta reunião, o segundo tema vai girar em torno do Hospital Regional do Jaguaribe. Por conta da pandemia, a ideia do Estado é tentar abrir, de imediato, uma ala do hospital para tratar doentes da Covid-19 e, posteriormente, ir sendo abertas as demais alas da Unidade. Em toda a rede estadual, os hospitais regionais contam com uma parte do custeio feita pelo governo federal, por meio do SUS. 

O Estado do Ceará já ultrapassou a marca de 20 mil mortos por conta da pandemia do coronavírus, enquanto o Brasil registra mais de 440 mil mortos. Tanto a vacina como a abertura de mais leitos são temas urgentes neste momento. 



Assuntos Relacionados