Câmaras Setoriais: Sílvio Carlos esclarece posição da Sedet

O secretário Executivo do Agronegócio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho afirma que as câmaras "são abrigadas na Adece", onde elas decidiram não mais se reunir.

Legenda: As C^maras Setoriais, inclusive a da floricultura, decidiram transferir para a Faec suas reuniões mensais que eram na Adece
Foto: Alisson Ferreira / Diário do Nordeste

Em mensagem exclusiva para esta coluna, o secretário Executivo do Agronegócio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet) do Governo do Estado, agrônomo Sílvio Carlos Ribeiro, informa que conversou neste domingo com os presidentes da Adece e da Faec a respeito da situação das Câmaras Setoriais da agropecuária cearense.
 
Ele disse que as câmaras “estão abrigadas na Adece” e são de responsabilidade da agência, “sendo a Sedet membro efetivo de todas as câmaras”.

O presidente da Federação da Agricultura, Amílcar Silveira, por sua vez, também enviou mensagem à coluna, confirmando que as Câmaras Setoriais ligadas à agropecuária passarão a reunir-se, mensalmente, na sede da entidade, que cuida agora de organizar o calendário dessas reuniões. 

Tanto Sílvio Carlos Ribeiro quanto Amílcar Silveira confirmam que o clima entre as partes envolvidas na questão é cordial e de entendimento.

Eis, na íntera, a mensagem do secretário Sílvio Carlos Ribeiro à coluna:

“Conversei há pouco com o Amílcar e também com o (Francisco) Rabelo, Presidente da Adece. Para não haver dúvidas quanto à questão das Câmaras Setoriais/Adece/Sedet/Faec, esclareço o seguinte:

“1. As Câmaras Setoriais estão abrigadas na Aadece e são de responsabilidade daquela agência, sendo a Sedet membro efetivo de todas as Câmaras. Entendemos que as Câmaras são de grande importância para o Estado, pois são instrumentos de interlocução entre o setor produtivo e o Governo.

“2. Reforçamos nosso entendimento de sintonia das ações entre Sedet/Adece, como delineadores e executores das políticas de desenvolvimento do Ceará. A Adece é a fomentadora de todas as ações da Sedet voltadas para o Agro cearense e, neste ano, nossa Secretaria vai ampliar os escopos de atividades envolvendo agricultura, pecuária, aquicultura e pesca em parceria com diversas instituições, principalmente a Faec/Senar.

“3. Em relação à parceria Sedet/Faec, ressalto que, desde que assumiu, o Presidente Amílcar Silveira tem procurado a Sedet para propor ações  e projetos para gerar emprego e renda no meio rural. Quanto a ajudar na gestão e nas ações das Câmaras Setoriais na Faec, isso ainda será discutido com a Adece e Sedet, ouvindo principalmente o secretário Maia Júnior, nosso secretário titular e líder.

“4. Desde sexta-feira,20, venho conversando com os presidentes Amílcar e Rabelo, fazendo uma boa interlocução e ajustes nos problemas enfrentados pelo setor e reivindicados pela Faec. Tenho a certeza de que, durante a semana, boas iniciativas conjuntas (Faec/Sedet/Adece) serão propostas e divulgadas para a melhoria do nosso setor, que vive um momento de modernização e crescimento.”

A questão em tela – a decisão dos presidentes das Câmaras Setoriais de transferirem o local de suas reuniões da Adece para a sede da Federação da Agricultura – teve e tem como causa a má relação do presidente da Adece com os líderes do setor da agropecuária do Ceará.

Ciente desse desentendimento e das divergências que se registram nessa relação, o presidente da Faec, depois de consultado, concordou em abrigar, na sede da entidade, no bairro do Jardim América, as reuniões mensais das camaras. 

O presidente da Faec, Amílcar Silveira, disse à coluna que deu ciência dessa decisão ao secretário Silvio Carlos Ribeiro, com o qual tratou do assunto nas últimas 72 horas. “Estamos seguindo o caminho do entendimento”, disse Silveira. O secretário Sílvio Carlos o confirmou.