Ceará: análise do elenco é positiva e clube reforça criação de setor de contratações na Série A

Diretoria aprova início do trabalho de Guto Ferreira e projeto crescimento técnico dos atletas

Legenda: Vina e Sobis dividem a artilharia do Ceará na temporada, com cinco gols cada
Foto: Pedro Chaves / FCF

O departamento de futebol do Ceará analisou de forma positiva o início do trabalho de Guto Ferreira e as exibições na Copa do Nordeste, com o bicampeonato invicto. No planejamento estratégico do clube, o torneio regional funcionou como um teste para o elenco na temporada de 2020.

Uma reunião na quinta (6) selou o balanço do torneio, em que foi ponderado também os investimentos fora de campo. Para a sede do evento, em Salvador/BA, o Vovô viajou com nutricionistas, fisioterapeutas, médicos, analista de desempenho, dois auxiliares técnicos e 26 jogadores. 

Como os volantes William Oliveira e Fabinho estavam em recuperação de lesões, foi organizado um jogo-treino com o Ferroviário para avaliar exclusivamente os atletas - a transmissão na Vozão TV foi assistida por Guto e a dupla atuou na final contra o Bahia.

O objetivo atual é amadurecer mais a parte tática e técnica do plantel. O desempenho individual foi avaliado e, apesar do título, há compreensão de que alguns atletas podem render mais durante a Série A. Em termos de posição, a diretoria percebe o elenco preenchido e sem necessidade de reforço.

Critérios utilizados na busca dos reforços no início da temporada:

  • Retorno técnico: como Rafael Sobis e Fernando Prass, que não devem ser vendidos, mas agregam qualidade e experiência. 
  • Técnico e financeiro: a exemplo de Charles, com qualidade e valor de mercado, mas alto investimento de recursos.
  • Maior projeção econômica: casos de Vitor Jacaré e Cléber, ambos de baixo custo e com alto potencial de valorização.

"O Ceará vai se movimentar no mercado apenas se alguma possibilidade se encaixar no perifl do elenco. Temos tranquilidade, o elenco deu provas que está no caminho certo. Dentro das condições de jogo do Guto, hoje, não precisa sair e contratar. Temos a base também, boa resposta, situações que podem ocorrer internamente", relatou Jorge Macedo, executivo de futebol, à Coluna.

Com o time montado, o foco da gerência de futebol é concluir o departamento de contratações durante o Brasileirão. O sistema de inteligência, integrado ao setor de análise de desempenho, foi iniciado em 2020 e recebe ajustes quanto aos dados de tipo de negociação, valor dos jogadores e filosofia do clube.

A chegada do centroavante Cléber, por exemplo, foi indicada pelo mecanismo, ainda em construção. O Ceará também usará o setor para monitorar potenciais voltados as categorias de base.