Celebração natalina entre o Basquete Cearense e alunos da Escola Santa Tereza, no Pirambu

alberto bial posa para foto com crianças na escola Santa Tereza, em Pirambu
Legenda: Ao chegarmos na escola tive a sensação de estarmos sendo recebidos por uma estrela guia
Foto: Arquivo pessoal

A manhã da última segunda-feira, dia 06/12/21, foi repleta de alegrias e emoções, na festa natalina do Basquete Cearense e dos alunos da escola Santa Tereza, em Pirambu, em Fortaleza, celebramos o nascimento de Jesus de Nazaré, que aconteceu há mais de 2000 anos.

A festa foi consagrada por muito amor. Ao chegarmos na escola tive a sensação de estarmos sendo recebidos por uma estrela guia. Fomos agraciados por um festival de sorrisos e estávamos em plena sintonia. A integração entre nós do BC, os alunos e os professores foi sublime.

Os estudantes tinham entre 6 e 12 anos, levamos presentes de natal, guloseimas e muito amor para aquelas crianças que moram em uma região mais carente de Fortaleza.

alberto bial segura mascote do Carcalaion
Foto: Arquivo pessoal

Algumas destas crianças nem sempre ganham presentes de natal. Uma das histórias que escutamos e nos tocou muito foi a de um menino que nos contou que no ano passado queria uma bola de basquete de natal, mas que não havia ganhado. No momento em que distribuímos os presentes para todas as crianças pudemos realizar o desejo daquele menino de ter finalmente a sua tão esperada bola. O brilho nos olhinhos foi comovente e ele nos disse que a sua dúvida sobre a existência ou não de Papai Noel havia acabado, e que agora ele existe, sim.

Entre os presentes que levamos, havia bonecas, bolas, maquiagens e outros tipos de brinquedo, e também o melhor dos presentes para nós: a alegria, que contagiou a todos nós.

A equipe do BC pôde compartilhar momentos que o esporte proporciona e reviver momentos da mágicos e lúdicos da infância. Houve a encenação do nascimento de Jesus ao som de Noite Feliz. Nós levamos o nosso esporte ao encontro deles, e fizemos uma apresentação de basquete para os pequenos e para os nem tão pequenos assim.

O dia foi de simbiose entre a fase da infância e a da vida adulta, onde pudemos celebrar este momento do ano de confraternização, doação e união entre os povos. E nada mais simbólico do que estar junto com as crianças, e principalmente com as que têm mais necessidade de suporte material e que estão no caminho certo, o da educação, de onde vem a esperança de que podem transformar suas histórias e a nossa também.

Feliz Natal! E que dias felizes como este façam parte do nosso próximo ciclo da vida!

*Esse texto reflete, exclusivamente, a opinião do autor.