Como poupar: Técnicas para o dinheiro render

Atingir o equilíbrio entre o que gasta e o que ganha é o básico para iniciar a trajetória de investimentos. Esta é a fase na qual os objetivos são alcançados e o sacrifício de conter impulsos e de regular as contas são recompensados

E mbora grande parte das pessoas conheçam a regra básica para poupar dinheiro - que é gastar menos do que ganha -, nem todos conseguem colocá-la em prática. E os motivos são os mais variados, como baixa renda, falta de planejamento, descontrole financeiro ou ausências de metas. "Infelizmente, no Brasil, a população tem uma renda muito baixa e isso impacta na estratégia de se poupar dinheiro. Além disso, o hábito de controle das finanças pessoais ainda não é tão difundido entre os brasileiros", diz o economista Allisson Martins, professor e coordenador do curso de economia da Universidade de Fortaleza (Unifor).

São fatores como esses que acabam impedindo a realização de objetivos maiores, como a compra de uma casa, de um automóvel, ou mesmo de uma viagem em família. "A realização de sonhos está diretamente relacionada a você abdicar de consumos agora no presente e postergar o uso desse dinheiro para realização de projetos maiores, que são os sonhos de médio e longo prazos", diz Martins.

Para o economista Alex Araújo, em geral, a maior dificuldade enfrentada pelos que buscam poupar é manter a disciplina necessária para acumular recursos por um longo período, principalmente no controle de gastos. "Nós vivemos numa sociedade de consumo e somos constantemente bombardeados por estímulos que nos levam a comprar mais. Dessa forma, fazer com que haja um controle rigoroso de despesa é a forma de se iniciar o exercício de ter a disciplina necessária para que se tenha condições de poupar".

O economista Ricardo Eleutério destaca que o ato de poupar, para que dê frutos no futuro, deve se tornar um hábito, de modo que a pessoa não precise se sacrificar para formar uma reserva financeira, independentemente da renda mensal. "Quando a renda é menor, a poupança financeira será uma fração menor. Pode ser 10%, 5% ou 1% dessa renda. O importante é poupar uma fração da renda, mesmo que em termos percentuais seja uma fração muito pequena. E à medida que a renda for crescendo, ao longo da vida, nós vamos aumentando a nossa capacidade de poupança", diz.

Estratégias

Entre as estratégias para fazer sobrar parte da renda no fim do mês, o primeiro passo é estabelecer um orçamento equilibrado, separando as despesas fixas, como conta de água, luz, condomínio ou colégio, e destinar uma parte do restante para formação de uma poupança, que poderá servir como uma reserva de emergência ou para realização de metas de consumo. A partir daí, com o restante da renda mensal, é possível pensar nos gastos supérfluos.

"O ponto de partida é você ter um orçamento controlado. Claro que problemas ou fatos inesperados acontecem nas nossas finanças. Mas quem consegue ter um orçamento equilibrado é menos impactado quando ocorrem essas situações não previstas e seus recursos acabam não sendo tão afetados", diz Martins. Então, ao receber a renda mensal é recomendável sempre separar um percentual que pode ser rentabilizado em aplicações financeiras de fácil acesso, como a caderneta de poupança, por exemplo.

"Com essa estratégia, você prioriza gastos, porque trabalha com uma renda menor e, com certeza, irá cortar gastos supérfluos do seu orçamento", ele diz. Para os economistas, a definição de objetivos comuns é um dos métodos mais eficazes para criar o hábito de poupança na família. Se o objetivo da poupança é realizar um sonho comum a todos é mais fácil fazer com que todos os membros da casa sacrifiquem pequenas coisas em nome do objetivo maior. "Fixar um objetivo lhe leva a esse hábito de fazer poupança com regularidade, mensalmente", diz Ricardo Eleutério.

Para quem reconhece não ter a disciplina necessária, Eleutério recomenda fazer aportes programados, de modo que o recurso caia diretamente da conta corrente para uma aplicação financeira. Essa opção é disponibilizada pela grande maioria dos bancos. "É importante lembrar que, além de servir para realizar um objetivo específico, você precisa ter alguma reserva para emergências, como gastos com saúde ou para pagar uma franquia de seguro", diz.

Aumento de renda

Em muitos casos, porém, a dificuldade para poupar se dá por não sobrar recursos após a quitação de todas as despesas mensais. Neste caso, ele recomenda buscar novas fontes de renda. "Caso você tenha um emprego mas tenha algum talento, um dom, que possa ser monetizado, que possa deixar sua renda maior, é uma alternativa. E as possibilidades são várias, como dar aulas, vender produtos alimentícios, de vestuário, cosméticos. São várias as estratégias para você poder aumentar a sua renda e fazer sobrar mais dinheiro no fim do mês", diz Martins.

Outra opção é investir a renda extra na capacitação pessoal, pensando em progredir no mercado de trabalho e, assim, obter no médio e longo prazos, uma renda maior. "Essa é uma estratégia bem interessante para aumentar a sua capacidade de ganhar mais dinheiro", diz Martins. "O mercado de trabalho ainda é muito carente de profissionais que sejam muito preparados, inclusive em áreas que estão surgindo na atualidade, como as que estão relacionadas às áreas de ciência de dados, informática, marketing digital. Se você estiver se preparando, no médio e longo prazos, isso pode dar um resultado muito bom, te colocar em posições bem mais elevadas nas empresas, o que possibilitará uma sobra maior de recursos no fim do mês para poupar, investir e realizar os seus sonhos".

Você tem interesse em receber mais conteúdo do Conta Bem?