Governo do Rio Grande do Norte orienta interdição de trechos das praias com lixo hospitalar

Conforme a gestão potiguar, seis toneladas de resíduos já foram retirados no litoral sul do Estado

lixo rn
Legenda: Praia de Barra de Cunhau, em Canguaretama, foi atingida pelos resíduos
Foto: Reprodução

Trechos de praias do Rio Grande do Norte que ainda possuam lixo hospitalar deverão ser interditados. A recomendação foi expedida pelo Governo do Estado potiguar. Até o momento, seis toneladas de resíduos sólidos já foram recolhidas no litoral sul.

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) também orientou a instalação de bandeiras vermelhas indicando que a praia está imprópria para banho.

"A limpeza das praias deve ser realizada o mais rápido possível para que esse material não volte para o mar, tampouco o material mais pesado fique submerso na areia", alerta a nota do órgão estadual.

Já o governo orientou as prefeituras a armazenar o lixo temporariamente em algum local reservado para auxiliar nas investigações.

Identificação dos resíduos

Nessa segunda-feira (26), em menor proporção, uma nova remessa do material atingiu a faixa litorânea do estado. As praias de Baía Formosa, Búzios e Tabatinga foram afetadas, mas os locais continuam sem interdição.

Ainda segundo a gestão estadual, o material coletado, que inclui roupas, sapatos, tubos para coletas de sangue, seringas e recipientes plásticos, tem inscrições de cidades de Pernambuco.

O Idema comunicou que não há informações oficiais sobre o motivo que ocasionou a poluição.

A sujeira começou a chegar por meio de correntes marítimas na última quarta-feira (21). Uma das áreas afetadas está localizada na praia de Pipa. Um dos pontos atingidos é uma importante região de desova de tartarugas.