Futebol antes da pandemia

Flamengo
Legenda: Flamengo venceu o Bangu no retorno do futebol brasileiro
Foto: Alexandre Vidal / CRF/Divulgação

Em matéria de futebol brasileiro, pode se dizer que, antes da pandemia, os primeiros meses do ano foram período para esquentar tamborins, apenas.

Dessa forma, qualquer análise geral prende-se ao término da temporada 2019 e a herança que esta possa ter deixado.

Não há dúvida de que o grande acontecimento foi o futebol jogado pelo Flamengo, deixando os seus oponentes nacionais na poeira e ensejando análises comparativas em termos de América do Sul e Europa.

Embora se mostrando à altura de um campeão da Libertadores, na derrota rubro-negra para o Liverpool, ficou patenteado que se joga um futebol superior no Velho Mundo.

Fora disso, diga-se que a situação é preocupante em termos de futuro.

Grandes times em crise e os mesmos problemas de calendário, num futebol que se organiza mal e de forma superada.

Vamos trazer exemplos de duas grandes equipes e suas políticas de gestão: Flamengo e São Paulo.

O que o time carioca fez foi: atender ao mercado europeu, com jogadores na faixa de 20 anos, fazer dinheiro com isso e trazer valores sem espaço na Europa. Afora outros exemplos: Vinicius Jr. e Lucas Paquetá se foram e vieram Felipe Luiz e Rafinha.

Sem se falar em Gabigol e Gerson, que saíram do Brasil e voltaram.

Deu certo, como podia dar errado.

No São Paulo, a aposta continuou sendo a venda de suas “ jóias” forjadas na cotia e a contratação de medalhões, como Daniel Alves, Juanfran e Pato.

Deu errado.

Muito dinheiro gasto no que se mostrou “pastel de vento”.

Como desta forma, só nesses dois exemplos, rubronegros e tricolores terão, no futuro, ídolos do naipe de Kaká e Zico?

Portanto, o que restou da temporada passada, ficou para moldar um cenário atingido pela pandemia.

Para não dizerem que não falei do nosso futebol, vá lá: dentro das nossas possibilidades, foi tudo ótimo, com boas perspectivas. Tirando-se, neste começo de ano, os estragos da pandemia.

O Ceará, com maiores sobressaltos, logrou continuar na elite, marcando boas médias de público.

O Fortaleza manteve e reforçou o elenco, garantindo a direção segura de Rogério Ceni.

Depois que a maré baixar, tricolores e alvinegros não serão flagrados nadando nus, ao contrário de muitos times do Brasil.