Um campeonato de tiro curto

Terceiro e quarto colocados classificam-se para as quartas do Cearense, fase em que Fortaleza e Ceará ingressarão

Jogadores de Ceará e Fortaleza disputam bola durante Clássico-Rei de novembro de 2021
Legenda: Ceará e Fortaleza entram no Ceará apenas na fase das quartas de final
Foto: Kid Júnior

Relâmpago. Deixaram os certames estaduais espremidos, num calendário cheio de competições nacionais e internacionais. Assim, já duas rodadas do Campeonato Cearense aconteceram. São oito times nesta primeira fase, em jogos de ida e volta. Coisa rápida mesmo.

Os dois primeiros colocados passam direto para as semifinais, sendo que o campeão ainda ganha a vaga para disputar a Copa do Brasil. O terceiro e o quarto colocados classificam-se para as quartas de final, fase em que Fortaleza e Ceará ingressarão na disputa.

O terceiro colocado enfrentará o Fortaleza e o quarto colocado enfrentará o Ceará. A partir das quartas de final, jogos eliminatórios (ida e volta). Nesta primeira etapa são 14 rodadas. Faltam doze. Num piscar de olhos, tudo passa. Os times estão muito próximos no rendimento e na pontuação. É cedo para uma análise consistente.

O fato que chama atenção diz respeito à participação do Ferroviário, que entrou como favorito, mas venceu nas duas rodadas. Empatou com o Iguatu e empatou com o Caucaia. A equipe coral ainda não encontrou o melhor rendimento. Domingo próximo, o Ferrão enfrentará o Atlético-CE. Se acontecer novo tropeço, haverá séria necessidade de correção de rumo.  

 

Privilégio 

Muito segura a manifestação de Richardson neste retorno ao Ceará. Ele admitiu estar na melhor fase de sua vida profissional, pela idade e produção. Falou convicto. Ótimo. Só discordo dele num ponto. Richardson disse que será uma dor de cabeça para Tiago Nunes definir, pois tem Sobral e o próprio Richardson para a mesma posição. Isso não é dor de cabeça, amigo: é privilégio. 

 

Posição 

Vejam como é difícil a contratação de um centroavante. Logo que os clubes entraram de férias, começou a especulação nacional sobre os “Camisa 9” disponíveis. Nomes em profusão. Já, já, as competições regionais e nacionais começam e a maioria dos times ainda não conseguiu solucionar o problema. Centroavante bom mesmo é coisa rara. 

 

Posições 

Observem que para as outras posições o mercado da bola ofereceu e ainda oferece várias opções. Quando, porém, o assunto é centroavante, a escassez é notória. Prestem atenção num detalhe: todos os nomes especulados tinham mais de 30 anos. Não por acaso, quando há a revelação de um “Camisa 9” goleador mesmo, os grandes clubes fecham em cima. 

 

Aposta 

Há um garoto cearense, de 14 anos de idade, Gustavo Gouveia. Atualmente ele joga no Grêmio de Porto Alegre. Os pais dele, Heraldo e Manuela, estão dando todo o apoio. No ano passado, Gustavo foi convocado para a Seleção Brasileira, sub-15, pelo técnico Dudu Patetuci. Deu o recado dele. É centroavante e vem chamando a atenção. É importante acompanhar a evolução desse garoto.



Assuntos Relacionados