Vôlei masculino brasileiro deixa derrota de Tóquio pra trás e inicia novo ciclo; veja programação

Seleção passa por renovação após 4º lugar nas Olimpíadas. Estreia no sul-americano será hoje (1º), às 19h, contra o Peru

Grupo está completo para estreia contra o Peru, nesta quarta-feira (1)
Legenda: Grupo está completo para estreia contra o Peru, nesta quarta-feira (1)
Foto: CBV

O ciclo olímpico menor, de três anos, começa para o vôlei masculino do Brasil menos de um mês após o frustrante 4º lugar nos Jogos de Tóquio. O tempo para reestabelecer o foco é curto e a seleção inicia a caminhada em busca da retomada do domínio nas competições. 

O primeiro desafio é o sul-americano, que começa nesta quarta-feira (1º), quando o Brasil enfrenta o Peru, às 19h. O campeonato é amplamente dominado pelos brasileiros. Em 33 edições, a seleção nacional só não ganhou a que não participou, em 1964.

Apesar do retrospecto positivo, o Brasil não deve encontrar um caminho tão fácil. Um tradicional adversário, a Argentina, chega com um grupo forte, formado por sete medalhistas de bronze das últimas Olimpíadas (medalha, inclusive, conquistada em cima do Brasil). 

O sul-americano vale vaga no mundial de 2022. E para a competição, o técnico Renan Dal Zotto não contará com jogadores que deram adeus à seleção, após Tóquio, como o oposto Wallace. Mas terá à disposição novas peças, como o também oposto Aboubacar. Bruninho, Cachopa, Lucão, Isaac, Alan, Lucarelli e Thales, permanecem no grupo, após a campanha olímpica. Se juntam a eles: João Rafael, Vaccari,  Adriano, Flávio, Cledenilson e Maique. 

Início do ciclo olímpico acontece em Brasília e é a chance do Brasil consolidar a hegemonia no continente
Legenda: Início do ciclo olímpico acontece em Brasília e é a chance do Brasil consolidar a hegemonia no continente
Foto: CBV

Além do título em si, o que se espera é que a seleção brasileira volte a apresentar em quadra um jogo encaixado e contagiante, que não foi o que se viu em Tóquio. As novas peças já entram com a responsabilidade de dar de volta esse vigor ao grupo, que manteve bons jogadores do ciclo anterior. Os mais experientes ficam com o papel de comandar mais essa transição pela qual a seleção passa. 

A trilha de três anos até Paris parece longa, mas é bem curta, na verdade. E deve ser intensa. O Brasil tem adversários de peso, que devem dar trabalho nas próximas competições. As seleções evoluiram e o time nacional precisa reencontrar a sua essência.

A seleção feminina também se prepara para o desafio continental, que acontece na cidade de Barrancabermeja, na Colômbia, de 15 a 20 de setembro. 

Confira a tabela completa do sul-americano de vôlei masculino: 

Primeira rodada

01.09 (QUARTA-FEIRA) – Argentina x Colômbia, às 16h30 (SporTV 2)

01.09 (QUARTA-FEIRA) – Brasil x Peru, às 19h (SporTV 2)

Segunda rodada

02.09 (QUINTA-FEIRA) – Chile x Peru, às 16h30 (SporTV 2)

02.09 (QUINTA-FEIRA) – Brasil x Colômbia, às 19h (SporTV 2)

Terceira rodada

03.09 (SEXTA-FEIRA) – Peru x Argentina, às 16h30 (SporTV 2)

03.09 (SEXTA-FEIRA) – Brasil x Chile, às 19h (SporTV 2)

Quarta rodada

04.09 (SÁBADO) – Colômbia x Peru, às 10h (SporTV 2)

04.09 (SÁBADO) – Argentina x Chile, às 13h (SporTV 2)

Quinta rodada

05.09 (DOMINGO) – Brasil x Argentina, às 10h (TV Globo e SporTV 2)

05.09 (DOMINGO) – Colômbia x Chile, às 13h (SporTV 2)