Jogos Olímpicos começam em menos de três meses e cenário de incertezas volta a Tóquio

Cumprimento de protocolos será fundamental para que as Olimpíadas não se transformem em foco de contaminação pelo coronavírus

Jogos olímpicos de Tóquio
Legenda: Tóquio 2020 está na história, apesar de incertezas que ainda rondam realização dos Jogos

21 de julho de 2021. Neste dia, a bola rola na primeira modalidade a iniciar as disputas olímpicas, em Tóquio: o softbol. Antes mesmo da cerimônia de abertura, a categoria e o futebol têm início na capital japonesa. 

O momento mais esperado na vida de um atleta, a Olimpíada, representa também uma oportunidade de imersão, intercâmbio, troca de conhecimentos e experiências esportivas. Pontos que serão mais restritos por causa dos protocolos sanitários para evitar contaminações pelo coronavírus. 

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) estabeleceu uma série de medidas, entre elas a criação de uma comissão médica para combater a Covid, com atuação antes e durante os Jogos; além da redução das equipes e replanejamento das chegadas; três dias para as modalidades que possuem base de aclimatação no Japão, e sete dias para as que chegam direto à vila olímpica. 

Todos os protocolos serão imprescindíveis, ainda mais a depender do cenário epidemiológico da pandemia, em Tóquio, que voltou a gerar alerta na última semana, quando o Japão declarou estado de emergência na capital por conta dos índices do coronavírus. 

Diante desse cenário, volta à tona a possibilidade de priorizar atletas olímpicos na campanha de vacinação contra a Covid, no Brasil. O COB confirmou que foi procurado pelo Ministério da Defesa e Comitê Olímpico Internacional (COI), mas que ainda não há uma definição quanto ao que de fato será viabilizado.

Por nota, afirmou que “está conversando com as entidades para definir o caminho a ser seguido, respeitando o plano nacional de imunização". 

208 brasileiros garantidos em Tóquio 

Com essa marca, o País já chega à sexta maior quantidade da história. Até poucos dias antes dos Jogos, dezenas de vagas ainda serão definidas, podendo a delegação superar o total de Pequim (2008), quando foram 277 representantes.

O grupo que só não é maior do que o do Rio-2016, quando o Brasil teve 462 atletas – muitas dessas vagas garantidas por ser a sede dos Jogos. 

Por enquanto, a modalidade com mais atletas garantidos é o futebol, que conta com 36. Na sequência, o handebol, com 28; e o vôlei terá 24 atletas. Nas categorias individuais, o atletismo é destaque e já classificou 28 competidores. 

Tóquio 2020 será uma edição como jamais vista e terá uma série de restrições, mas o esforço deve ser coletivo para que as Olimpíadas mais diferentes de todos os tempos entrem para história como marco positivo para novos rumos, ainda que em meio à pandemia.