Sarto indica que reduzir desigualdades é meta da gestão; superar pandemia é primeira missão

Na solenidade de posse e de transmissão do cargo, novo prefeito foi enfático na defesa das prioridades

Legenda: O novo prefeito deu, no ato de posse, os direcionamentos do que deve ser a prioridade da gestão
Foto: Natinho Rodrigues

Oficialmente prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira (PDT) reforçou, nos discursos, aquelas que ele tem dito que serão prioridades da sua gestão. No curto prazo, trata-se do combate à pandemia em três pilares: vacinação, retomada das aulas presenciais e recuperação econômica. Em um horizonte mais largo, a prioridade é seguir com o processo de redução das desigualdades na Capital. Esta, por sinal, é uma marca que o novo gestor quer deixar.

As duas temáticas estiveram mais fortemente presentes nas falas do novo prefeito neste dia que marca o início de sua gestão. E exigirão bastante empenho do time montado por ele para a gestão.

Por conta dos pilares de combate aos efeitos da pandemia, Sarto acabou sendo um pouco mais conservador na montagem do secretariado, na área de Finanças, Saúde e Educação. Nos três casos, todas mulheres, as titulares serão remanescentes da gestão Roberto Cláudio. A estratégia do prefeito é evitar que o desconhecimento da máquina pública por alguém totalmente novo pudesse atrasar as providências para as missões que são urgentes.

Em relação ao plano de médio prazo de redução das desigualdades, até pelas declarações elogiosas à gestão Roberto Cláudio, e mais do que isso, o aproveitamento de profissionais em parte do primeiro escalão na nova gestão, Sarto sinaliza que irá dar continuidade às políticas já em andamento. 

Por mais de uma vez, o prefeito citou no discurso o fato de Fortaleza ter passado Salvador em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), segundo os dados divulgados recentemente relativos ao ano de 2018. Crescer e distribuir riquezas é um desafio para praticamente todas as grandes cidades do País. E o novo gestor sinaliza, logo no primeiro dia, que pretende priorizar o assunto.

Diálogo com o Legislativo

Mesmo que tenha feito críticas indiretas à oposição mais ligada ao presidente Bolsonaro, ao condenar o "nagacionismo" em relação à pandemia, Sarto utilizou uma estratégia de sinalizar diálogo com a Câmara Municipal. Enfatizou, inclusive, a necessidade de ter oposição e prometeu manter um canal aberto com todos os parlamentares. 

Experiente no Parlamento, Sarto sabe que precisará contar com o engajamento de sua base - e por vezes até da oposição - para que os projetos da gestão passem sem dificuldades. O início dos trabalhos da Câmara já deve trazer questões bem polêmicas na pauta.