No 2º turno, candidatos fazem sinalização ao eleitorado petista

fotografia
Foto: Fabiane de Paula

Somados os votos dos sete últimos colocados na disputa pela Prefeitura de Fortaleza chega-se ao número de 169.184 votos, um montante considerável, mas ainda distante dos 227 mil votos de Luizianne Lins, a candidata do PT que encontra-se em silêncio após o primeiro turno, embora o seu partido, o PT, tenha definido apoio ao candidato do PDT, Sarto Nogueira, atendendo ao chamado do governador Camilo Santana.

Não é à toa que os dois candidatos do segundo turno, Sarto e Capitão Wagner (Pros), fazem sinalizações no sentido deste eleitorado em citações diretas a Luizianne. Ao receber apoio do partido, Sarto disse ter admiração por Luizianne e minimizou críticas. Wagner disse que ela foi injustiçada pelos ataques da campanha pedetista no primeiro turno. Por razões óbvias, parece menos ingrata para Sarto a missão de atrair o eleitorado petista. Mas Wagner sabe que vai precisar de uma fatia desse público e precisa fazer acenos para conseguir chegar à Prefeitura. Para Sarto, a tarefa é se desculpar pelas críticas, algo desconfortável. A Wagner, a tarefa de tentar atrair esse voto pode atingir a fatia mais conservadora e antipetista do seu eleitorado.

Posições partidárias

Na fase de adesões pós-disputa de primeiro turno, o candidato do PDT vai contabilizando mais aliados. Hoje, entram nas trincheiras governistas Patriota, de Samuel Braga, Partido Verde, de Célio Studart, e Solidariedade, de Heitor Férrer. Este já havia informado que não entraria no apoio, buscaria a neutralidade. Com anúncio de voto crítico, a UP, Unidade Popular também recomendou voto contra Capitão Wagner. PCO estará neutro. Falta apenas o PSL confirmar sua posição.

Dura missão

Deputado federal, vice-governador e, atualmente, vice-prefeito de Fortaleza. O histórico de Moroni Torgan é de um político experiente com vários mandatos exercidos. De saída do cargo em Fortaleza, o político, um dos primeiros a explorar a temática da insegurança para garantir mandatos, tem tido dificuldade para emplacar o filho, Mosiah Torgan, em cargos eletivos. Em 2018, perdeu para deputado federal. E agora, o apoio do pai e do governismo não foi suficiente para levá-lo À Câmara Municipal.

Café com a indústria

As entidades que representam o setor industrial/empresarial cearense, Centro Industrial do Ceará, Federação das Indústrias do Estado do Ceará e a Federação das Associações dos Jovens Empresários do Ceará (Fajece) querem abrir logo o diálogo com os candidatos a Prefeito para discutir o futuro da Cidade e as demandas do Setor. O “Café com a Indústria - Eleição 2020” recebe primeiro o candidato Sarto Nogueira, dia 23. No dia seguinte, será a vez de Wagner. Eles receberão um documento com medidas que podem auxiliar o desenvolvimento industrial de Fortaleza. Boa oportunidade para assumir compromissos em prol da economia e da geração de emprego e renda, tema urgentíssimo ao próximo gestor.