Dnit e Docas sofrem mudanças de gestão no Ceará em meio à disputa no Congresso Nacional

As mudanças, sem qualquer previsão ou justificativa, pegaram de surpresa os dois órgãos e podem vir a contemplar deputados federais que se alinhem ao candidato Arthur Lira

Dnit
Foto: Agência Brasil

Um dia depois da vinda ao Ceará do deputado federal Arthur Lira (PP-AL), candidato apoiado pelo Governo Bolsonaro à Presidência da Câmara dos Deputados, sem nenhum alarde, o Palácio do Planalto preparou mudanças em cargos federais estratégicos no Ceará. 

Pelo menos duas posições de destaque estarão vagas nos próximos dias: a direção de infraestrutura e gestão da Companhia Docas do Ceará e a Superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

As mudanças, sem qualquer previsão ou justificativa, pegaram de surpresa os dois órgãos e podem vir a contemplar deputados federais que se alinhem a Lira na disputa pelo comando da Casa. 

Na próxima segunda-feira (18), haverá a substituição no Dnit, um dos cargos federais mais cobiçados por parlamentares do Estado em todos os governos.

A função é ocupada, atualmente, pela engenheira Liris Silveira Campelo Carneiro. Um nome técnico e servidora de carreira do órgão. 

Funcionária de carreira há 14 anos e exercendo o cargo de chefia há dois, Liris teria sido comunicada nesta sexta-feira (15) sobre sua mudança para outro setor, através da Secretaria de Governo. E há a expectativa que outros cargos dentro da estrutura do Dnit também sejam trocados.

A ordem teria partido da Secretaria de Governo, comandada pelo general Luiz Eduardo Ramos, que cuida da articulação política do Governo Bolsonaro.

Docas

No caso da Companhia Docas do Ceará, o diretor de Infraestrutura e Gestão Portuária, Miguel Ângelo Barroso Andrade, foi destituído do cargo também nesta sexta-feira.

O ato foi votado e confirmado em uma reunião do Conselho de Administração da Companhia, convocada e realizada no fim da tarde desta sexta-feira (15).