Coronavírus muda projetos no Estado

O Governo do Estado abriu mão dos recursos que estavam alocados no Orçamento da União para a construção do Hospital Universitário da Uece, prometido para ser um dos maiores do Estado. O projeto está mantido, mas o momento de crise obriga o poder público a modificar, temporariamente, as prioridades. O montante de R$ 70 milhões foi remanejado para o combate ao coronavírus, informa o coordenador da bancada cearense em Brasília, deputado Domingos Neto. Em comum acordo, segundo ele, mais R$ 40 milhões que estavam destinados à Segurança Pública também serão remanejados para a Saúde, um total de R$ 110 milhões, que havia ficado combinado que seria de indicação do Governo do Estado. A outra parte das emendas coletivas, cerca de R$ 109 milhões, fica a cargo dos deputados e senadores, mas boa parte delas também irá para o combate ao coronavírus. Hoje, após a indicação dos parlamentares, o coordenador da bancada irá encaminhar as novas prioridades ao Governo Federal. Há um compromisso de que a União libere a partir da semana que vem os recursos.

Divergências

No ano passado, as emendas de bancada acabaram sendo alvo de disputa entre parlamentares. Uma emenda à Constituição fez com que elas passassem a ser de liberação obrigatória pelo Governo Federal. Pela tradição na bancada cearense, metade dos recursos ficaria por indicação do governador e a outra metade seria dividida por indicação de deputados e senadores, mas a proposta causou divergências entre parlamentares até mesmo da base aliada. Após articulações, o pedido do Governo Estadual acabou sendo atendido.

Olho no consignado

Os deputados estaduais cearenses querem levar ao governador Camilo Santana uma ideia para reduzir o peso no orçamento de servidores públicos estaduais. A ideia, que ainda vai ser debatida com o presidente da Assembleia, José Sarto (PDT), é propor que os bancos que detêm consignados dos trabalhadores da iniciativa pública deem uma carência de três meses para quem tiver empréstimos nos contracheques. A proposta foi debatida na reunião de ontem do colégio de líderes.

Expectativa de candidatura

Aliado e secretário do prefeito Roberto Cláudio, Alexandre Pereira (Cidadania) vive a expectativa de disputar a Prefeitura da Capital. O presidente nacional do partido, Roberto Freire, quer candidatura própria em Fortaleza. Segundo o secretário de Turismo da Capital, há uma expectativa em relação a isso, mas as decisões ainda passarão por outras articulações até a chegada das convenções partidárias.

Tudo tranquilo

O presidente estadual do MDB, ex-senador Eunício Oliveira, diz que está "tudo tranquilo" no partido na formação da chapa de vereadores em Fortaleza para as eleições 2020. Nas bolsas de aposta da política cearense, os observadores mais dedicados têm considerado muito difícil de o partido conseguir formar uma bancada de vereadores razoável na Câmara Municipal. Apostam que em uma boa hipótese, o partido fará um vereador. Em relação à chapa majoritária, o ex-parlamentar diz que não há, no partido, pressa para definir o candidato. O MDB, hoje, é aliado de Camilo Santana (PT), mas não do PDT na Capital. E não tem um pré-candidato em evidência.