Fortaleza: a incrível eficiência do time de Vojvoda

Desde que o técnico argentino assumiu o comando do Tricolor, o time conquistou tudo que estava ao alcance

Vojvoda comemora títulos
Legenda: Vojvoda comemora títulos
Foto: Divulgação Fortaleza

É verdade que o futebol jogado pelo Fortaleza, em 2022, não tem aquela sintonia do ano passado. E será que precisa ter?

Em 2021, o time de Vojvoda encantou. Vencia e convencia. "Jogava por música" na maioria dos jogos.

Mas, o foco da coluna de hoje é ilustrar como "tudo que era possível", que estava ao alcance pelo nível da equipe, foi conquistado.

Eu vejo nesse grupo treinado pelo técnico argentino, um "time de chegada". O time da "hora H".

Até oscila em jogos mais "fáceis", tropeça quando não deveria, mas no momento que é preciso passar de fase ou levantar uma taça, mesmo sem um futebol brilhante, o objetivo é alcançado.

Vejamos bem o desempenho em tudo que disputou: 

  • Campeonato Cearense 2021 - Vojvoda chegou e conquistou o Tricampeonato (invicto).
  • Brasileirão 2021 - Ficou na histórica 4ª colocação. Atrás apenas dos 3 times fora da curva (Galo, Palmeiras e Fla).
  • Copa do Brasil 2021 - Levou o Leão para a Semifinal. Eliminado apenas pelo Atlético-MG, que foi o campeão e time a ser batido no ano.
  • Cearense 2022 - Está na final e é o franco favorito para conquistar o Tetracampeonato, diante do Caucaia.
  • Copa do Nordeste 2022 - Campeão invicto.

Campeão de tudo que "dava pra chegar". E nas competições nacionais, indo o mais longe possível, além até, do que se cobrava e imaginava.

Então, até que me prove o contrário (que houve uma espécie de queda de rendimento clara, e não mudança de estilo de jogo) eu não tenho cobrado a plasticidade que tanto gostamos. 

Pode ser, inclusive, que não voltemos a ver. O que o Fortaleza fez na temporada passada foi um ponto fora da curva que acabou elevando demais o seu próprio "sarrafo". Repetir será muito complicado e até improvável.

Quero sempre ver jogo bonito. Já publiquei aqui mesmo, que não sou do time "futebol raíz". Gosto de qualidade.

Mas, enquanto esse elenco e o trabalho de Vojvoda continuar atingindo todos os objetivos traçados, não tenho como criticar.

*Vide o Palmeiras de Abel Ferreira (melhor técnico que trabalhou no Brasil nos últimos 10 anos, pelo menos, na minha visão) que chega em tudo que disputa, e ainda existe quem cobre "mais futebol".

O torcedor quer ver taça. Quer ver um time competitivo. E, nesse aspecto, não se pode cobrar do único invicto da Série A, em 2022.