Compra milionária, engenharia financeira e meta por produção: bastidores da ida de Mendoza ao Ceará

O Alvinegro atuou de forma ágil para contratar um jogador que já estava no radar há um bom tempo, em aquisição que mostra força no mercado

mendoza
Legenda: Mendonza ao lado do presidente Robinson de Castro, na assinatura de contrato com o Ceará, que ocorreu neste sábado (27)
Foto: Felipe Santos/Cearasc

O Ceará anunciou oficialmente, na tarde deste sábado (27), uma das principais contratações para a temporada. O colombiano Stiven Mendoza chega ao Alvinegro para ser titular e é mais uma prova da boa atuação que o clube tem tido no mercado. A negociação, que caminhou sob sigilo por cerca de um mês, só foi possível por articulação ágil do departamento de futebol do clube nos bastidores.

Engenharia financeira

Stiven Mendoza possuia contrato com o Amiens, da França, até a metade de 2021. Já poderia assinar pré-contrato com outras equipes. Ciente disto, o Ceará agiu rápido no mercado e preparou uma engenharia financeira para se antecipar, criando uma condição mais favorável de ganhar a disputa, que contava com a concorrência de clubes da França, Colômbia e até mesmo do Brasil.

O Alvinegro adquiriu 60% dos direitos econômicos do jogador pela quantia de 600 mil euros (pouco mais de R$ 4 milhões de reais na cotação atual). Deste total, 425 mil euros (em torno de R$ 2,8 milhões) pagos à vista. O restante foi parcelado em três anos (36 meses), em suaves parcelas.

O valor foi positivo para o Amiens e determinante na negociação, já que o clube francês perderia o atleta de graça em seis meses. Agora, não há mais nenhuma ligação do atleta com clube francês. Os direitos federativos são todos do Ceará.

Além disso, houve uma composição financeira para que o negócio fosse vantajoso, também, para o próprio jogador, que ficou com os 40% restantes. Há, aqui, um detalhe importante: o Ceará ainda pode comprar mais 30%.

Metas por produtividade

No contrato de Mendoza, há metas por produtividade. Uma delas é de quantidade de jogos. Caso o colombiano alcance o estabelecido em 2021, ao final do ano, o Ceará tem a obrigação de comprar mais 10%.

Para 2022, também há objetivos definidos. Porém, ao final do ano que vem, com as metas atingidas, o clube comprará mais 20%.

Todos os valores já estão fixados em contrato.

Atuação no mercado

Legenda: Mendoza é conhecido como "Speed" por sua velocidade em campo
Foto: Marcelo Malaquias / E.C. Bahia

Speed Mendoza já era observado e monitorado pelo Ceará há um bom tempo. A contratação do atacante agora dá dimensão de como o clube ampliou o leque de possibilidades com uma boa capacidade de investimento, e tem sido agressivo para contratar os jogadores que quer.

  • Importante¹: Mendoza, assim como todos os outros reforços, foram contratados porque se encaixam no modelo de jogo do técnico Guto Ferreira. O Ceará está buscando peças que encaixem dentro do sistema do treinador e potencializem os conceitos do técnico. Há coerência na distribuição das posições.
  • Importante²: Ir ao Benfica, de Portugal, buscar Yony González, e ir ao Amiens, da França, buscar Stiven Mendoza, mostra como o Ceará mudou o seu status de atuação no mercado da bola. O clube está, de fato, em consolidação no cenário nacional.

O clube segue em busca de um zagueiro e um lateral-direito. Para o setor ofensivo, as contratações estão fechadas, havendo ainda a possibilidade de permanência do meia Lima, algo que interessa ao clube.