Solange Almeida grava acústico gospel; cantora revela decepções com membros da Igreja evangélica

"Eu vi que a Igreja sou eu e que o senhor habita em mim", declarou a forrozeira

Solange Almeida ao lado de produtor Marcelo Venancio
Legenda: Solange Almeida ao lado de produtor Marcelo Venancio
Foto: Divulgação/Imaginar Filmes

A cantora Solange Almeida tem uma das poucas vozes femininas que consegue passar por diferentes ritmos sem perdas. Depois de lançar DVD com canções românticas no início de fevereiro, agora ela investe no repertório gospel. A produção audiovisual assinada pela Imaginar Filmes, apresenta a solista em um ritmo ainda não explorado por ela musicalmente.

Solange Almeida escolheu cinco canções gospel. As composições ganharam diferentes roupagens ao piano. As produções serão divulgados nesta sexta-feira (26), às 18h, no YouTube do Acústico Imaginar.

Cantar gospel era um desejo antigo de Solange Almeida, mas o tempo, a rotina, e o medo de críticas adiou - por diversas ocasiões - as gravações da produção. "Não que meu coração não quisesse, mas tive medo dos julgamentos das pessoas. Até pra falar de Deus, elas julgam. Sou muito julgada quando faço meus vídeos exaltando o nome do Senhor no Instagram. Sou criticada ao extremo. As pessoas acham que para falar de Deus tem que ser evangélico, estar com a bíblia de baixo do braço o tempo inteiro. Eu acho que não é por aí", explica a forrozeira.

Veja trecho:

A forrozeira conta que o desejo de cantar gospel começou na infância, estimulada pela mãe. "Desde muito pequena que eu ouço esse gênero. Aos domingos, minha mãe fazia questão de almoçarmos ouvindo músicas da Igreja Católica, da evangélica. Ela sempre foi inconstante no quesito religião. Já foi (adepta) de todas a que você pode imaginar. Como filha mais nova, tinha que ir com ela".

Com um cenário inédito nos estúdios da Imaginar Filmes, Solange Almeida gravou a produção audiovisual gospel com acompanhamento de produtor Marcelo Venancio ao piano.

"Esse projeto com a Solange já estávamos planejando há muito tempo. Sempre que nos encontrávamos era tocado no assunto dessa gravação. Era um desejo incomum. Apesar de ter demorado algum tempo a sair, tudo foi no tempo de Deus! E, independente do estilo musical, fazemos o que mais amamos que é produzir, tocar e gravar!", contou o produtor audiovisual Marcelo Venancio.

Decepções

Em 2011, Solange Almeida chegou a se converte para religião evangélica. Segundo a forrozeira, a fama acabou atrapalhando o desejo dela em encontrar Deus, além de paz.

"Achei que indo para Igreja evangélica iria conseguir ter o que tanto buscava. Tinha fama, dinheiro, todas as coisas materiais, mas não tinhas paz. Fui pra Igreja, pois diziam que ia encontrar Jesus. Fui pra Igreja e vou te falar que foi muito decepcionante. A idolatria estava lá. Não conseguia descer do carro, queriam comercializar minha voz. Cheguei em busca de sossego e as pessoas queriam me colocar em festivais, colocar em coisas para arrecadar dinheiro para Igreja. Eu não estava em busca daquilo, mas sim um encontro com Deus. Foi muito, digamos que decepcionante. Eu não continuei mais nessa igreja. Eu vi que a Igreja sou eu e que o senhor habita em mim", detalha Solange Almeida.

Atualmente, Solange Almeida reúne amigos ora e louva em casa. Por vezes, ela também recebe pastores e missionários. "Relutei para gravar esse trabalho e não tenho pretensão de seguir carreira gospel. Esse trabalho foi, realmente, aproximar as pessoas de Deus diante de tudo o que temos vividos. Dias difíceis que esperamos que acabe, mas não sabe quando. É no tempo de Deus. Esse projeto é para confortar e que as pessoas não percam a fé". 

 

 

Quero receber conteúdos exclusivos do É Hit