Enfermeira relata trauma após roubo de vacina contra a Covid-19 em Natal

Unidade de saúde em que ela trabalha foi alvo de criminosos na segunda-feira (22), quando 20 doses da Coronavac foram levadas

Enfermeira Shirmene Dias que estava no trabalho no dia do roubo da vacina
Legenda: Além do desgaste diário do enfrentamento à pandemia, Shirmene diz ficar o trauma e o medo de voltar a trabalhar
Foto: Arquivo Pessoal

A enfermeira Shirmene Dias disse passar por momentos de terror durante assalto a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de Natal, na última segunda-feira (22). Ela estava no local quando 20 doses da vacina contra a Covid-19 foram levadas por criminosos. 

Segundo a profissional, que concedeu entrevista à Revista Época, os assaltantes já chegaram perguntando pelo imunizante e foram bastante agressivos, colocando armas nas cabeças dos funcionários. Segundo ela, eles quiseram revistar todas as salas. 

O caso aconteceu na Vila de Ponta Negra, zona sul de Natal e, segundo a enfermeira, os criminosos haviam tentando a ação no começo da manhã, quando a unidade de saúde recebia uma entrega de insumos. 

Uma colega da profissional foi abordada na porta da unidade, mas eles desistiram após ela contar que o carregamento não era de vacina contra o coronavírus. 

O roubo de doses da Coronavac só foi concretizado por volta de 11h30, quando duas ampolas do imunizante foram levados, após nova investida do grupo. Segundo Shirmene, três homens envolvidos na ação tiveram o cuidado de levar as vacinas nas caixas térmicas. 

Dois suspeitos do crime foram detidos, mas as vacinas não foram recuperadas. 

Para a enfermeira, houve descaso da Secretaria de Saúde, que ignorou os pedidos da UBS para que as vacinas não fossem enviadas no mesmo dia, em razão da primeira tentativa de assalto.

Além do desgaste diário do enfrentamento à pandemia, Shirmene diz ficar o trauma e o medo de voltar a trabalhar.