Profissionais da saúde indígena são indiciados por desvio de vacinas contra Covid-19 no Maranhão

Polícia Federal afirma que técnica de Enfermagem aplicou doses em três familiares de forma irregular

Frasco de CoronaVac na mão de profissional de saúde
Legenda: Os três parentes vacinados por ela confirmaram o recebimento indevido da vacina.
Foto: Miguel Schincariol/AFP

A Polícia Federal (PF) indiciou dois profissionais da Saúde Indígena do Maranhão por desvio de doses de vacina contra a Covid-19 dirigidas à população indígena do estado. De acordo com a PF, uma técnica de enfermagem aplicou, indevidamente, doses do imunizante em seus familiares. As informações são do portal G1.

A Polícia instaurou inquérito no dia 17 de março para apurar a conduta da profissional, que trabalha na Saúde Indígena do Polo Base de Barra do Corda. Além dela, um enfermeiro também é suspeito do crime.

A técnica de Enfermagem confessou a prática ilícita durante questionamentos dos agentes, que foram aos municípios de Barra do Corda e de Jenipapo dos Vieiras para apurar o caso. Os três parentes vacinados por ela também confirmaram o recebimento indevido da vacina.

Em nota, a PF afirmou que, “com o desenrolar das investigações foi possível verificar que um enfermeiro ao qual estava subordinada a técnica de enfermagem acompanhou a vacinação indevida de dois parentes”, acrescentando que a profissional chegou a registrar a vacinação irregular de um dos parentes.

Ainda conforme a instituição, a técnica de enfermagem foi indiciada pelo crime de peculato. Já o enfermeiro, pelo crime de peculato a título de omissão imprópria — ele tinha o poder e o dever de agir para impedir a imunização irregular, mas se manteve inerte frente ao ato.