Os novos desafios e desgastes do Fortaleza

Confira a coluna nesta sexta-feira (23)

Legenda: O Fortaleza vem de vitória fora de casa pela Série A do Brasileiro
Foto: Bruno Oliveira / Fortaleza EC

Terminado o período de folga imposto pelas Datas Fifa, volta a rotina de escravidão do calendário esportivo. Já amanhã, às 18:30, no Castelão, o Fortaleza enfrenta o Atlético-MG, que teve na quarta-feira a estreia do técnico Luiz Felipe Scolari, o Felipão. E na terça-feira, dia 27 de junho, o Leão enfrentará o Palestino, do Chile, no Estádio El Teniente, na cidade de Roncagua. Viagem longa, que também desgasta. É verdade que o Tricolor de Aço já está classificado para as oitavas de final da Sul-Americana. Tudo bem. Então, embora possa usar um time alternativo, não deixa de ser um desgaste, sim.

Tenho dito repetidas vezes que o campeão cearense deve priorizar a Série A nacional. A vitória sobre o Cruzeiro, após seguidos insucessos, reconduziu o Fortaleza a uma posição que permite vislumbrar a Copa Libertadores, ficando colado na disputa. Pelo visto, a partir de agora, será como cantiga de grilo, ou seja, não haverá mais períodos de paralisação que permitam um certo repouso como houve agora nas datas Fifa. É bom lembrar: a Série A nacional ainda não chegou sequer à metade da competição. De 38 rodadas, apenas 11 foram realizadas. Há, portanto, muita água para correr sob a ponte.   

 

Expectativa 

 

O Fortaleza já mostrou como veio, após a paralisação. Ótimo. Tudo bem. Agora a expectativa gira em torno do Ceará. Afinal, o que o técnico Eduardo Barroca conseguiu ajustar na sua equipe durante o período de paralisação? O Vozão terá encontrado a tão desejada sintonia fina? A resposta será dada domingo, diante do Sampaio Corrêa no Castelão de São Luís. 

 

Tempo 

 

O comentarista Wilton Bezerra levantou uma questão interessante, quando de sua participação no programa “Bom Dia Nordeste”, na Rádio Verdes Mares e TV Diário. Perguntou se não estavam valorizando demais o tempo de paralisação como instrumento adequado para total recuperação de um time de futebol. 

 

Resposta 

 

Entendi a posição do companheiro Wilton Bezerra. Com relação ao recondicionamento físico, a paralisação veio no tempo certo. Os jogadores estavam precisando de uma pausa assim. Já com relação aos demais itens, máxime as propostas táticas e alternativas, só mesmo a bola rolando revelará se houve proveito ou não.   

 

Atacante 

 

Neste retorno, várias respostas terão de ser dadas pelo time de Eduardo Barroca. Uma delas: o atacante Eric Pulga finalmente ganhará a condição de titular? As atuações dele no Ferroviário o credenciaram para isso. Mas Pulga ainda não conseguiu tal objetivo. Cabe ao Barroca saber como utilizar Eric Pulga, dando-lhe as melhores condições de resposta ao elenco. Talento Pulga tem. 

 

Representatividade 

 

A participação do Nordeste na Série A é mínima: só Fortaleza e Bahia. Na Série B são seis: Vitória, Sport, Ceará, CRB, Sampaio Corrêa e ABC. Na Série C, também seis: Náutico, Confiança, Botafogo-PB, CSA, Floresta e América-RN. Na Série D, são 23 clubes nordestinos, sendo cinco do Estado do Ceará: Ferroviário, Atlético-CE, Caucaia, Pacajus, Iguatu. É incrível mesmo.