Flávio Sabóya, presidente da Faec, morre de Covid aos 77 anos

Ele estava internado havia cerca de 15 dias no Hospital São Mateus. A comunidade da agropecuária do Ceará está de luto.

Flávio Sabóya
Legenda: Flávio Sabóya cumpria terceiro mandato consecutivo na presidência da Faec
Foto: JL Rosa

Vítima da Covid-19, faleceu neste domingo, em Fortaleza, o presidente da Federação da Agricultura do Ceará (Faec), agrônomo Flávio Sabóya.

Ele tinha 77 anos, completados em dezembro passado.

Sabóya estava internado havia cerca de 15 dias no Hospital São Mateus, onde faleceu no início da manhã de hoje.

Flávio Sabóya cumpria seu terceiro mandato consecutivo na presidência da Faec.

Antes de assumir a presidência da Faec, ele foi seu vice-presidente (na gestão Torres de Melo) e superintendente do Senar durante 11 anos. Assim, durante 21 anos, Sabóya dedicou-se à defesa dos interesses da agropecuária cearense.

Foi também diretor da antiga e extinta Secretaria de Agricultura e Pecuária do Governo do Estado, que hoje é Secretaria de Desenvolvimento Rural.

Diretor da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), onde era respeitado e admirado pelo trabalho que desenvolvia em defesa do setor, Flávio Sabóya promoveu uma grande transformação nas atividades da Faec, aproximando-a dos pequenos produtores rurais do Ceará.

Usando o Serviço Nacional de Aprendizado Rural (Senar), braço educativo do Sistema CNA, a Faec, sob a gestão de Flávio Sabóya incentivou cursos de qualificação técnica dos prodtores rurais, para o que celebrou convênios com o Ministério da Agricultura. 

O também agrônomo Rodrigo Diógenes, vice-presidente da Faec, que assumiu interinamente a presidência da entidade desde o seu internamento, disse a esta coluna que o falecimento de Flávio Sabóya abala profundamente todo o setor produtivo cearense, tendo em vista suaforte liderança e influência nas áreas da indústria e também do comércio.

 

 



Assuntos Relacionados