Você já viveu a emoção de ver uma criança ganhar um animal de estimação?

criança com cachorro
Legenda: Na vida, só não pode nos faltar amor e o pensar no próximo
Foto: Pexels

Domingo me tornei bisavô. Mas não se espante, minha neta, de 12 anos, finalmente, depois de muito tempo tentando convencer a mãe, teve o seu desejo realizado: ganhou uma cachorrinha e a acolheu como a uma filha. A nova integrante da família se chama Tulipa.

Alice recebeu em seus braços a maltês de apenas 60 dias de vida e, ao segurá-la, Alice começou a chorar de tanta alegria. Foi como se o nascimento da Tulipa tivesse acontecido naquele momento. A menina Alice acalentou sua “filha” com muito carinho e emoção. 

Pude acompanhar esta cena através do vídeo que ela me mandou. Foi como uma fábula. Fiquei mais ou tão emocionado que a mãe da Tulipa, o que me trouxe a memória da construção da minha família.

Alice vai poder dividir a sua nova fase de vida de pré-adolescente até a sua vida adulta com a filha canina. O querer bem, o cuidar de um outro ser e educar trará ensinamentos e aprendizados para a minha netinha.

Eu diria que, por vezes, quando sonho que o meu país seja próspero e se desenvolva sustentavelmente tento não ser utópico. O Brasil, país tão rico em recursos naturais, o que tem a maior diversidade de espécies no mundo, até então, deveria ser o mais rico em desenvolvimento humano, social e consequentemente econômico.

Ontem assisti à CPI do Covid e fiquei muito bem impressionado com as falas da médica infectologista Luana Araújo, que nos deu uma aula de medicina e ciência. Um dos discursos dela, de que gostei muito, foi: “Ciência não tem lado. Ciência é bem ou mal feita. É uma ferramenta de conhecimento para servir à população, prezando a vida e a qualidade de vida”.

Voltando à vida da Tulipa e da Alice, elas me trazem a esperança de que, com amor, educação e ciência a geração da minha neta, especialmente ela, que é tão preocupada com o meio ambiente e com a sua preservação, podem transformar o mundo e o Brasil num lugar melhor, mais humano e justo. 

Alice faz parte de um jornal da escola, e, assim como eu, escreve textos semanalmente que são publicados também às sextas-feiras. Quem tiver interesse em lê-los pode acessar o site do Jornal Narcisa.

Planejamento e cuidado é o que o Planeta Terra merece. Somos protagonistas das nossas histórias e do nosso mundo, o modo individual de viver de cada um reflete na sociedade globalmente. 

O convívio com a minha bisneta Tulipa traz um bom sentido à vida, através dos cuidados e limites que devemos dedicar aos outros seres com os quais nos relacionamos, como com um animal doméstico.

Na vida, só não pode nos faltar amor e o pensar no próximo, que é o que prezo, seja como mãe/pai, avó/avô, bisavó/bisavô ou filha/filho. "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas", como sabiamente escreveu Antoine de Saint-Exupéry em seu livro “O Pequeno Príncipe”. Acredito que nunca é tarde para mudarmos e revertermos o jogo da vida.

*Esse texto reflete, exclusivamente, a opinião do autor.



Assuntos Relacionados