'Segunda Chamada', nova série da Globo, é retrato cru da realidade de parte da educação no país

A série foi escrita por Carla Faour e Julia Spadaccini, com direção geral de Joana Jabace

Segunda Chamada
Série tem segundo episódio exibido nesta terça-feira (15), em homenagem ao Dia do Professor Foto: divulgação/Globo

A realidade do ensino nas escolas públicas no país é complicada. Não é difícil citar os fatores: evasão escolar, falta de estrutura, recursos. Segunda Chamada, nova série da Globo, já estreou com dois episódios na televisão e veio capaz de assustar com o que é verdadeiro ao retratar as nuances da educação no Brasil. Se o panorama desse universo é complicado no geral, no ensino adulto, geralmente conduzido no período noturno em várias instituições do país, a visão é ainda mais complexa. E disso a série se apropria muito bem. 

No elenco, nomes como Débora Bloch, Paulo Gorgulho, Hermila Guedes, Thalita Carauta e Silvio Guindane interpretam professores. Já Felipe Simas, Nanda Costa e Linn da Quebrada, fazendo primeira participação em uma produção televisiva, representam alguns dos alunos da Escola Estadual Carolina Maria de Jesus. A história percorre os caminhos desses personagens, que buscam, de uma forma ou de outra, persistir na educação. Lúcia, por exemplo, personagem de Bloch, é uma mulher determinada a incluir os estudantes nas possibilidades de formação

A ambientação inicial na série é um tanto confusa e pode ser difícil para o espectador se envolver de pronto na narrativa, construída para cada uma das figuras em cena. No entanto, quando o "clique" acontece, é quase natural se encontrar na busca para entender como eles reagem diante das dificuldades da vida. De forma crua e sem muitos pudores, também com uma fotografia mais escura e pesada,

'Segunda Chamada' mostra aos poucos como a educação, algo aparentemente simples, precisa transpor barreiras triviais, mas enormes, nascidas de ambientes distintos.   

No primeiro episódio, o acerto principal fica na exposição dos personagens. Simples e com dilemas internos maiores a cada ato, é possível senti-los como críveis e até mesmo se angustiar diante das dificuldades se avizinhando a cada instante. Lúcia, a protagonista de Débora Bloch, é a personificação disso. Tranquila e com a voz um tom abaixo, traz uma personalidade que parece prestes a explodir a cada instante, justificada por traumas vividos dentro e fora de sala de aula

Com mais oito episódios a serem exibidos – o próximo deve ir ao ar nesta próxima terça –, 'Segunda Chamada' parece uma aposta grande dentro da cartela dos novos produtos da emissora. Importante pensar como histórias fictícias, e a arte em si, pode se tornar um espelho das tantas realidades vivenciadas em um território tão grande como o Brasil.