Presença de documentários no Festival Curta Canoa desperta reflexão sobre o formato

Segundo a organização do evento, este ano 40% das inscrições para a mostra de curtas foram de documentários. Para o crítico Diego Benevides, o formato disputa espaço na cena local com equilíbrio, em relação às demais formas de fazer cinema

Legenda: Trecho do documentário "O Quintal de João", que será exibido na Mostra Infantil do Curta Canoa
Foto: Divulgação

O Festival Curta Canoa acontece a partir deste sábado (23), e segue até a próxima quinta (28), com a exibição de 45 filmes de curtas-metragens. Desse total, 12 são documentários (8 integrados à mostra competitiva de curtas). Por esse viés, o formato se equilibra com as demais formas da sétima arte no evento. No entanto, a organização do festival informa que, para esta edição, 40% dos projetos inscritos foram de documentários. 

"Percebemos o crescente número de envios desse formato ao longo dos anos. Hoje, o festival não chama só a atenção dos curtas (de ficção), mas também de filmes desse gênero", sintetiza Adriano Lima, organizador do Curta Canoa.

Além da exibição da mostra competitiva, o festival vai realizar a Mostra Infantil e a Curta Ceará (voltada exclusivamente às produções locais). E na quinta (28), às 17h, pelo encerramento, haverá anúncio dos vencedores e a exibição especial do curta "Operação Canoa". Antes, às 10h, haverá uma programação com atividades formativas (detalhes em www.curtacanoa.com.br). 

Legenda: Cena do documentário "Veio de Resistência"
Foto: Divulgação

Toda a programação este ano será transmitida online, pelo canal do Curta Canoa no You Tube. Além dos 8 documentários que disputam as premiações do festival pela mostra competitiva de curtas, o formato aparece na Mostra Infantil com 1 filme ("O Quintal de João", de João Carlos Maia) e na Curta Ceará com mais 3 filmes ("Clodoaldo: O Didi de Jeri", de Armed Furtado Rabelo Mustafa/CE; "Veio de Resistência", de Elinaldo Rodrigues/CE; e "Mar de Linhas", de Luigi Ewerton/CE).

Contexto

O crítico de cinema Diego Benevides contextualiza que hoje a produção audiovisual cearense é muito rica em formatos e gêneros das obras. Ele lembra que a maior parte dos longas cearenses que fizeram carreira em festivais, e alcançaram projeção nacional e internacional, são de ficção. 

"No entanto, a produção não se resume apenas ao que chega ao grande público. Temos uma infinidade de curtas-metragens realizados nos mais diversos contextos, desde contemplados por editais de fomento até experimentos realizados em escolas de cinema e cursos universitários", destaca o crítico.  

Ele situa que não há, necessariamente, um "privilégio" para um determinado formato na curadoria dos festivais locais. "Se há uma aparição mais forte de documentários em uma seleção, provavelmente a equipe de curadoria encontrou um diálogo mais interessante para expor para o público a partir deles, mas o ideal, na minha opinião, é sempre manter o equilíbrio a partir do montante que foi recebido para ser analisado pela curadoria", explica Diego.

Produção

O crítico conta como, durante a pandemia, o documentário passou a ser bastante explorado por uma série de realizadores, tendo em vista que a lógica de produção do formato tornou-se mais acessível, com as restrições do isolamento social, em relação à fiçção.

"Ele segue uma lógica de pesquisa, argumentação, roteirização e realização padrão do cinema em si, mas com necessidades mais específicas do formato. Em geral, as ficções demandam uma estrutura de cenários, locações, preparação de elenco, figurinos e maquiagem, etc., que nem sempre são urgentes para o documentário", detalha Diego.

O documentário pode acontecer baseado na fala de diversos entrevistados ou "se resolver" a partir de um depoimento de fôlego. Para Diego Benevides, o formato se torna realidade a partir das necessidades de cada roteiro. "Temos visto curtas e longas que documentam o cotidiano familiar, que nascem em casa e se utilizam dos parentes como personagens, reduzindo as demandas de produção, mas, ainda assim, demandando um tipo específico de trabalho", observa. 

Programação dos filmes

Sábado (23)

Mostra Infantil

17h25 - Lé Com Cré (Animação, Cassandra Reis/SP)

17h30 - O Véu de Amani (Ficção, Renata Diniz/DF)

17h45 - Nina (Animação, Telmo Carvalho/RJ-CE)

Mostra Competitiva

18h - Fatinha (Documentário, Alexandre Fleming Câmara Vale/CE)

18h20 - Assintomáticos (Ficção, Santiago Dellape/DF)

18h30 - Reza (Ficção, João Niella e Ralph Campos/RJ)

18h50 - Se não for divertido não tem graça (Documentário, Vinicius Comoti/PR)

19h05 - Tateio-me (Experimental, Lis Schwabacher/BA)

19h10 - 8 Patas (Animação, Fabrício Rabachim, Gabriel Barbosa, Pietro Nicolodi/SP)

Mostra Curta Ceará

19h20 - A Beleza de Rose (Ficção, Natal Portela/CE)

19h40 - Mar de Linhas (Documentário, Luigi Ewerton/CE)

Legenda: Imagem do documentário "Mar de Linhas"
Foto: Divulgação

Domingo (24)

Mostra Infantil

17h30 - BLWARH - Navegando no Deserto (Animação, Levi Magalhães/CE)

17h45 - Comunicando (Animação, Telmo Carvalho/CE)

Mostra Competitiva

18h - Açaí (Ficção, André Cantuária/AP)

18h20 - À Luz de Bruel (Documentário, Téia Werner e Silvia Gabriela/PR)

18h35 - Quando as Nuvens Eram Nossas (Documentário, Carito Cavalcanti/RN)

19h - Asfixia (Ficção, Rafael Sylos e Lay Venancio/SC)

Mostra Curta Ceará

19h30 - Veio de Resistência (Documentário, Elinaldo Rodrigues/CE)

Segunda (25)

Mostra Infantil

17h25 - Manhê (Ficção, Camila Amaral Xavier/SP)

17h35 - O Quintal de João (Documentário, João Marcos Maia/CE)

17h45 - Vida (Animação, Levi Magalhães/CE)

Mostra Competitiva

18h - Marie (Ficção, Leo Tabosa/PE)

18h25 - Terceiro Dia (Ficção, Jessica Queiroz/CE)

18h35 - Sidnei Tendler: Artista Em Quarentena (Documentário, Felipe David Rodrigues/RJ)

19h - Pequenas Considerações Sobre o Espaço-Tempo (Experimental, Michelline Helena/CE)

19h05 - Vestido Encarnado (Ficção, Ângela Escudeiro/CE)

19h25 - A Massa Que Faz O Pão (Ficção, Hélio Brito/TO) 

Mostra Curta Ceará

19h50 - Plástico (Ficção, João Paulo Duarte/CE)

Terça (26)

Mostra Infantil

17h30 - Eric Acorde (Animação, Telmo Carvalho/CE)

17h40 - A Bola Pune (Ficção, Iziz Negreiro/AM)

Mostra Competitiva

18h - Marco (Ficção, Sara Benvenuto/CE)

18h20 - Aqueles Dois (Documentário, Émerson Maranhão/CE)

18h35 - Tambor Ou Bola (Documentário, Sérgio Onofre/AL)

19h - Contrastes – Impressões de Israel (Animação, Jackson Abacatu/MG)

Mostra Curta Ceará

19h20 - Tommy Brilho (Ficção, Sávio Fernandes/CE)

19h40 - Clodoaldo: O Didi de Jeri (Documentário, Armed Furtado Rabelo Mustafa/CE)

Legenda: Cena do documentário "Clodoaldo: o Didi de Jeri"
Foto: Divulgação

Quarta (27)

Mostra Infantil

17h30 - A Natureza Agradece (Animação, Ana Maria Cordeira e Ricardo de Podestá/GO)

17h45 - Príncipe da Encantaria (Ficção, Iziz Negreiro/AM)

Mostra Competitiva

18h - O Malabarista (Animação, Iuri Moreno/GO)

18h10 - Sacaca - A Lenda (Documentário, Toninho Duarte/AP)

18h30 - Introdução aos Estudos Oníricos (Experimental, Amanda Pontes/CE)

18h35 - A Barca (Ficção, Nilton Resende/AL)

Mostra Curta Ceará

19h - Jango (Ficção, Thiago Henrique Sena/CE)

19h20 - Capitais (Ficção, Kamilla Medeiros e Arthur Gadelha/CE)

19h30 - Inadequada (Ficção, Mylla Fox/CE)

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?