Sobre viver em tempos de pandemia: episódio 4 aborda dilemas de profissionais da saúde e da educação

Há um ano, “Cuidar” do corpo e da alma de tantos tem sido a principal missão de enfermeiros, agentes de saúde e professores do Ceará e do mundo inteiro

“Um médico emergencista está preparado para todas as situações”. Era o que pensava Khalil Feitosa, chefe da emergência do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), antes de presenciar “tantas pessoas tão graves chegando ao mesmo tempo” em busca do ar que a Covid-19 sugava dos pulmões. “Cuidar”, então, se tornou missão quase impossível.

O quarto episódio de “Sobre viver em tempos de pandemia” mostra a rotina, as dores e a resiliência dos profissionais de saúde em meio ao caos de uma pandemia no Ceará.

Além de Khalil, a enfermeira Cinthia Lima, que atendeu à primeira infectada que chegou ao Hospital Leonardo Da Vinci; a agente de saúde Paula Alves, atuante na aldeia indígena Jenipapo Kanindé; e a professora Mirian Lima, docente da rede estadual, mostram aqui as diversas faces do cuidar, do corpo à mente.

O secretário da Saúde do Ceará, Dr. Cabeto, também relata como tem sido “trabalhar até três horas da manhã, há um ano”, conciliando as funções de gestor público e de médico – profissão que exerce “com paixão” há trinta anos.

Assista aos episódios anteriores:

Quero receber conteúdos exclusivos da cidade de Fortaleza