Policial militar é preso em flagrante por tentativa de feminicídio contra a esposa em Fortaleza

O homem responderá, ainda, por ameaça no contexto de violência doméstica e maus-tratos a animais

Um policial militar foi preso em flagrante por tentativa de feminicídio contra a esposa. O crime ocorreu na noite de domingo (1º), no bairro Henrique Jorge, em Fortaleza. A Polícia Militar do Ceará (PMCE) não divulgou a identidade do suspeito. 

O homem também responderá por ameaça no contexto de violência doméstica e maus-tratos a animais.  A Polícia, contudo, não detalha a ocorrência. Segundo o órgão, ele encontra-se recolhido no presídio militar.

Em nota, a PMCE disse que “não compactua com condutas ilícitas”. “Por isso, faz cumprir rigorosamente as normas legais, sem deixar de respeitar, naturalmente, os princípios do contraditório e ampla defesa”, afirmou. 

Como proceder em caso de violência doméstica

Ligue para um 180. Esse é um serviço de utilidade pública para o enfrentamento à violência doméstica. Além de receber denúncias de violações contra as mulheres, a central encaminha o conteúdo dos relatos aos órgãos competentes e monitora o andamento dos processos.

A central também tem a atribuição de orientar mulheres em situação de violência, direcionando-as para os serviços especializados da rede de atendimento.

Além do número de telefone 180, é possível realizar denúncias de violência contra a mulher pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil e na página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), responsável pelo serviço.

No site está disponível o atendimento por chat e com acessibilidade para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Também é possível receber atendimento pelo Telegram. Basta acessar o aplicativo, digitar na busca “DireitosHumanosBrasil” e mandar mensagem para a equipe da Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180.

O Instituto Maria da Penha tem uma cartilha para ajudar as vítimas a identificar as fases da violência doméstica. Leia neste link.

Quero receber conteúdos exclusivos sobre segurança