Jantar entre amigos gera saia-justa a suplente de Cid Gomes

Fato que gerou burburinho - nada mais do que isso - no fim de semana da política cearense, o jantar que reuniu o coronel Aginaldo Oliveira, a esposa dele, deputada federal bolsonarista Carla Zambelli (PSL), e o deputado federal Capitão Wagner (Pros), além de empresários como o ex-vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena, aconteceu mesmo na residência do empresário Júlio Ventura. E causou certo constrangimento ao cicerone. Júlio é o segundo suplente do senador Cid Gomes e tem relação próxima com o prefeito Roberto Cláudio e o governador Camilo Santana.

O motivo do encontro foi receber o comandante da Força Nacional de Segurança, com quem o empresário tem boa relação. Julinho disse a amigos governistas que nada tinha a ver com política. Por falar nisso, aliás, apesar do burburinho, o episódio tem quase nenhum peso decisório em relação à sucessão na Capital. Mas as postagens em redes sociais da deputada Carla Zambelli, que sugerem apoio à pré-candidatura de Capitão Wagner à sucessão na Capital, acabaram por gerar o desconforto ao anfitrião.

Leia mais da coluna desta terça-feira (23):

> Recomendação de Aras a promotores provoca dubiedade 

Campo conservador

Capitão Wagner (Pros), pré-candidato desde a última eleição, em 2016, tinha, até o início do ano, suas dúvidas em relação a ser considerado o candidato do bolsonarismo na Capital. Aqui, o presidente tem popularidade baixa, apontavam pesquisas do início do ano. Entretanto, o vácuo deixado no campo conservador com a saída de Geraldo Luciano da corrida ao Paço e as indefinições do próprio PSL, comandado aqui por Heitor Freire, que se afastou do presidente, está encaminhando Wagner para a linha de frente deste campo.



Assuntos Relacionados