Após período conturbado, bancada cearense no Congresso Nacional terá novo coordenador em 2022

Júnior Mano (PL) tem assinaturas suficientes do colega para ocupar o posto a ser deixado por Genecias Noronha (SD)

Deputado federal Júnior Mano na Câmara Federal
Legenda: Júnior Mano está no primeiro mandato, mas tem articulado forte emendas parlamentares ao Ceará

Deputado de primeiro mandato, Júnior Mano (PL) será o novo coordenador da bancada cearense no Congresso Nacional em 2022. O parlamentar já tem assinaturas suficientes para ser conduzido ao cargo pela maioria dos 25 congressistas (22 deputados federais e três senadores) e deverá ficar no cargo até o fim deste ano. 

A escolha do coordenador deverá acontecer após a volta do recesso parlamentar, em 1º de fevereiro, mas Júnior Mano trabalha há, pelo menos um mês, conversando com os demais parlamentares e costurando os acordos para ocupar o cargo. 

“Já temos um entendimento com a maioria da bancada. Falta conversar com poucos. Caso consigamos confirmar em consenso, espero contribuir com a atuação para ajudar o Estado do Ceará nessa função”, disse o parlamentar em entrevista a este colunista. 

A coluna confirmou a informação com outros deputados da bancada federal cearense que, inclusive, vêm de um ano com muitas queixas em relação ao comando da bancada estadual atualmente.

Papel do coordenador

O cargo de coordenador é formalizado pelos regramentos do Congresso Nacional e tem um papel estratégico para garantir a liberação de recursos ao Ceará, via emendas parlamentares, e também na articulação em favor do Estado na relação com os demais poderes e instituições em Brasília.  

A atuação ruim do coordenador de bancada, evidentemente, pode trazer prejuízos para os demais colegas e até para o Estado do Ceará, como a demora de liberação de recursos para obras estruturantes. 

Cabe ao coordenador de bancada, por exemplo, apresentar as emendas coletivas ao orçamento da União, garantindo, assim, o envio de recursos que viabilizam obras e serviços à população.

É fundamental amplo diálogo com os demais parlamentares da bancada e uma assessoria técnica especializada para evitar contratempos.

Cabe ainda ao coordenador o diálogo com o governo do Estado e com as prefeituras para tratar das obras e intervenções prioritárias aos interesses da população no Estado.

Historicamente, a divisão das chamadas emenda de bancada dão dor de cabeça ao coordenador. Muitas vezes, como foi o que ocorreu neste ano, as divergências entre deputados, senadores e governo, necessitam de uma atuação eficiente.

Apesar de estar no primeiro mandato, Júnior Mano tem demonstrado desenvoltura ao circular pelo Congresso Nacional e também nos ministérios em Brasília. Ele está entre os parlamentares que mais liberaram emendas na atual Legislatura.  

O parlamentar terá um desafio pela frente que é destravar questões que a atual coordenação deixou passar e gerou, inclusive, irritação entre os deputados e senadores. 

Nos bastidores

Genecias Noronha na Assembleia Legislativa
Legenda: Genecias Noronha (SD) é o atual coordenador da bancada, mas tem uma atuação conturbada

O atual coordenador da bancada federal cearense é Genecias Noronha (SD), mas o comando dele está chegando ao fim com muitas arestas entre os colegas. 

Nos bastidores, diversos parlamentares cearenses, ao longo de 2021, fizeram críticas à atuação do coordenador que chegou a perder alguns prazos para apresentação de emendas. Deputados tiveram que intervir para tentar destravar as pendências. 

Além do mais, a grande reclamação era da dificuldade de contato dos colegas com o parlamentar.