Segundo turno de Fortaleza fecha aliança no campo de centro-esquerda

A aliança entre PT e PDT no segundo turno da eleição de Fortaleza é uma vitória interna do governador Camilo Santana, defensor dessa tese desde antes do pleito deste ano. Ao governador caberá a articulação do engajamento do partido na campanha de Sarto. A decisão ocorreu com a bancada de vereadores eleita pelo partido, mas sem a candidata derrotada Luizianne Lins. No primeiro turno, as críticas da campanha de Sarto foram rebatidas duramente pela candidata petista.

Nada trivial

A sinalização ao governador, embora possa parecer óbvia até pelo cargo que Camilo ocupa, não é trivial no PT. O partido optou pela candidatura de Luizianne Lins, no início deste ano, sem sequer ter consultado o governador. Camilo, inclusive, fez críticas ao episódio em que a presidente nacional da sigla, Gleisi Hoffmann, veio ao Ceará selar um acordo pelo nome de Luizianne em uma reunião fechada, para a qual Camilo não foi convidado. Agora, o nível de engajamento na candidatura pedetista, após turbulências durante a campanha, ficará a cargo do diálogo com Camilo.

Clima quente

Após o fracasso das negociações para uma aliança já no primeiro turno no período de pré-campanha, a relação PT e PDT piorou durante a campanha quando começaram as críticas da campanha de Sarto a Luizianne. A candidata também elevou o tom contra o pedetista. A troca de sopapos entre os partidos contrariou a estratégia traçada por Camilo que, mesmo não conseguindo acordo entre as legendas no primeiro turno, havia sugerido um pacto de não agressão entre ambos.

Novo cenário

Agora, no segundo turno, o governador se antecipou ao anunciar apoio ao candidato pedetista. Durante o primeiro turno, embora não tenha feito isso diretamente, Camilo fez sinalizações a Sarto, em menções à parceria política com o PDT, mas principalmente, no confronto direto com o candidato Capitão Wagner sobre o motim de PMs ocorrido no início do ano. Não se sabe, porém, o nível dessa proximidade diante de descontentamento despertado pelos embates do primeiro turno. A conferir as articulações.

Centro-esquerda

Com o apoio confirmado de PT e PC do B, a candidatura do PDT conta com mais uma sinalização de apoio: do Psol. Na noite de ontem, o partido soltou nota na qual confirmou o apoio. Para o campo de centro-esquerda, a disputa em Fortaleza está ganhando contornos nacionais com os acordos entre os partidos. Ontem, a ex-presidente Dilma Rousseff, nas redes sociais, aprovou o fato de o PT ter fechado a aliança eleitoral com o PDT.