De mudança para Inglaterra, apresentadora Patrícia Nielsen se declara: "O Ceará não tem igual"

Jornalista deixa o comando do CETV 2ª edição nesta semana e se prepara para novos projetos pessoais fora do País, com foco nos estudos e na família

patricia-camila-lima (2)
Legenda: Proporcionar novas vivências às filhas está entre os novos desafios da comunicadora
Foto: Camila Lima

Quem acompanha o jornalismo diário da TV Verdes Mares reconhece facilmente a voz e a figura elegante da apresentadora Patrícia Nielsen. Com mais de uma década na emissora, a jornalista se despede esta semana do comando do CETV 2ª edição para encarar novos desafios na Inglaterra. 

Filha de pai curitibano e mãe cearense, a jornalista nasceu e cresceu na capital do Paraná, mas sempre vinha a Fortaleza para passar férias. Encantada com o clima e com as praias, decidiu fazer da Terra da Luz morada há 15 anos.  

A mudança para Fortaleza também mudou o rumo profissional de Patrícia, já que em Curitiba ela cursava a faculdade de Relações Internacionais.

“Fui fazer com foco na comunicação corporativa, pois eu queria um trabalho que me proporcionasse uma relação com o mundo. Porém, quando fiz a disciplina de telejornalismo, aquilo me chamou muita atenção, fiquei curiosa para entender como tudo funcionava"

E completa: "Me interessei, mas ainda não havia despertado a vontade de trabalhar com aquilo”.  

Timidez e paixão pela TV 

Mal sabia ela que a telinha seria seu novo encanto.

“Fiz um estágio curricular de seis meses na TV Verdes Mares, comecei a conhecer mesmo como funcionava, coloquei em prática toda a teoria da faculdade. Consegui conhecer todas as áreas da redação, passei por edição, produção, acompanhei repórter na rua, fiz entrevistas na rua. Eu conheci e de fato me apaixonei, achei aquilo incrível, foi naquele momento que eu pensei: pode ser por aqui”. E foi.  

Em 2009, foi chamada para substituir uma produtora que havia saído para a licença-maternidade. 

“Sempre fui muito tímida, sofria para apresentar um trabalho na frente da minha turma, eu tinha esse bloqueio e queria me desafiar e vi isso como uma oportunidade. Eu não sou de recusar desafio, não”, revela.

Em pouco tempo, encarou mais um desafio de fazer a primeira reportagem sobre uma holandesa apaixonada pela música brasileira, mas que não sabia falar nada em português. 

“Foi inesquecível, porque eu não tinha aquela segurança, não tinha essa pretensão, mas aí fui e fiz. Foram aparecendo outras matérias e ia fazendo eventualmente até que apareceu uma vaga de repórter. Fui me apaixonando, fiquei um bom tempo na rua”.  

Reconhecimento e elogios da população ao trabalho desenvolvido no Sistema Verdes Mares
Legenda: Reconhecimento e elogios da população ao trabalho desenvolvido no Sistema Verdes Mares
Foto: Natinho Rodrigues

"Vou me reinventar"

A competência de Patrícia logo teve destaque e, em 2015, foi convidada para apresentar o CETV 1ª Edição ao lado de Luiz Esteves. De acordo com a jornalista, aquele foi mais um desafio na carreira, já que nunca havia dividido a apresentação nem no horário de meio-dia.

“Sempre fui muito do perfil do jornal da noite e o CE1 é mais conversado, mais informal. Mas aí pensei: 'se me escolheram para estar lá, eu vou dar um jeito, vou me reinventar'”, afirma.  

“E eu acho que deu tudo certo. O feedback que eu tenho é de que foi uma dupla que se afinou, foi uma relação super legal a minha com o Luiz. Aprendi bastante com ele, aprendi a fazer esse jornalismo mais conversado. Fizemos um trabalho bem legal juntos”, declara. 

Em junho de 2019, mais uma mudança: Patrícia deixa o espaço diurno e volta às telinhas no período noturno com o CETV 2ª Edição.  

Marcos na TV

Durante a atuação como repórter, Patrícia elenca a entrevista com o ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton como um fato marcante da carreira. O americano esteve em Fortaleza em 2012 para uma palestra na Universidade de Fortaleza.

“Aconteceu muito por acaso, a assessoria já havia informado que ele não ia dar entrevista. Fiquei lá pra fazer imagens e consegui falar com ele, aquilo me marcou e as pessoas lembram muito”.  

Já como apresentadora, outra cobertura que ficou como destaque para a jornalista foi sobre o colapso e desabamento do Edifício Andrea em outubro de 2019.  

"Consigo enxergar melhor o meu trabalho"

Diariamente na casa de milhares de cearenses, a apresentadora conta sempre receber mensagens carinhosas nas redes sociais. “As pessoas mandam mensagens elogiando ou mesmo mandando dicas e isso é muito legal, porque essa nova realidade com as redes aproxima demais. Consigo enxergar melhor o meu trabalho”.  

Nas ruas, ela conta ser abordada também e diz: 

"Acho legal que me reconhecem e elogiam meu trabalho. Isso não tem preço. É o tipo de trabalho que a gente tem o reconhecimento de fora, não é só de chefe, de colega de trabalho”

Pausa, "escolha mais difícil" e praia

Proporcionar novas vivências às filhas Sarah e Lia, de 6 e 4 anos, respectivamente, foi o que motivou a mudança de país.

“Meu marido é inglês e já tínhamos planos de viver essa experiência lá. Pretendo voltar a estudar, que é algo que venho adiando há algum tempo. Vai ser um momento de pausa e vou poder voltar à universidade”, explica.  

Volta aos estudos no meio acadêmico marcam nova fase
Legenda: Volta aos estudos no meio acadêmico marcam nova fase
Foto: Acervo pessoal

Reservada, Patrícia diz não gostar de badalação. Nos tempos livres, pode ser encontrada facilmente em alguma praia. “Minha prioridade é ter momentos de lazer ao lado da minha família, amamos uma praia. Acho que vai ser o lugar que mais vou sentir falta. O Ceará não tem igual”, conta emocionada.  

“Estou vivendo um período de luto total, essa talvez tenha sido a escolha mais difícil que eu fiz. Eu sou apaixonada pelo que faço e amo meu local de trabalho, meus colegas, muito difícil desapegar disso”, acrescenta.  

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?