Festival Concreto de Arte Urbana chega à sexta edição

A programação segue o movimento de reinventar a paisagem visual de Fortaleza. O evento tem abertura hoje (1º), no Centro Cultural Belchior (Praia de Iracema)

Legenda: Mural pintado pela artista Luci Sacoleira (CE), durante o Festival Concreto do ano passado
Foto: Foto: Micaela Menezes

Há seis anos, o Festival Concreto acontece e movimenta artistas e demais realizadores pelas ruas de Fortaleza por uma semana inteira, em média. O evento reconhece o poder da arte urbana: se você transita atento à paisagem visual da capital cearense, com certeza já viu "rastros" do Concreto em diversos lugares.

Até hoje, os muros do Centro de Eventos do Ceará, da Escola Porto Iracema, do Centro Dragão do Mar, de prédios antigos no Centro da cidade, dentre outros locais, estão pintados pelos traços de artistas convidados das cinco edições anteriores do festival. E essa marca visual deve se ampliar a partir de hoje (1º), com a abertura de mais uma edição.

Neste primeiro dia, a partir das 20h, a programação será aberta com a discotecagem do DJ Albano Seletor no Centro Cultural Belchior (Praia de Iracema). O Concreto segue até o próximo dia 9. No encerramento, a dupla Os Gêmeos (SP), reconhecida no mundo inteiro pela intervenção artística nas ruas, fará discotecagem no Centro - em local próximo à Catedral Metropolitana de Fortaleza.

Este ano, mais de 60 artistas estão confirmados no evento. O artista Narcélio Grud, diretor do Festival Concreto, observa que, apesar das dificuldades de captação de recursos para viabilizar esta edição, a organização lançou um olhar distinto para a programação infantil.

Crianças

Logo na primeira edição, o Concreto trouxe a adolescente Flor (SP), grafiteira e filha do casal "Alto Contraste", para pintar no Passeio Público (Centro). Ano passado, o viés ampliou-se com a realização da série de oficinas "Carruagem Infantil", nos bairros Vila Velha, Curió, Jangurussu, Autran Nunes e Pirambu.

"Essas atividades mostraram pra gente como a criança é um campo fértil. E também neste momento que o País está passando, vejo que elas são o que há de mais puro. Tenho dois filhos, e isso me influenciou pra caramba. Me mobilizei então pela causa", reflete Grud.

Legenda: Instalação montada no encerramento do evento, há um ano, na Cidade da Criança (Centro)
Foto: Foto: Paulo Winz

Nesse sentido, o Concreto realiza neste domingo (3), a partir das 9h, no parque Adahil Barreto (Dionísio Torres), nova edição do "Carruagem Infantil" e o projeto "Meu primeiro spray". Grud reforça que os sprays usados com as crianças não são produtos tóxicos, diferente do spray comum. "Esse spray das crianças é menor, pra poder caber na mão delas, e a base da água, não é tóxica", detalha o diretor.

Na ocasião, o pequeno artista Risco (Miguel Duarte, de SP, filho do veterano Ise) fará uma live painting. A atividade se repetirá, voltada às crianças do Iprede, na Cidade dos Funcionários, na próxima quarta (6). Além disso, Risco ainda vai pintar um muro na Vila São Longuinho, na Praia de Iracema. E um mobiliário urbano será instalado como um parquinho próximo ao Largo do Mincharia. "É uma escultura, o Trepa Trepa, que fiz em parceria com o Speto", situa Narcélio Grud.

Speto (SP) também assina a identidade visual do Concreto este ano. O paulista fez o maior mural de sua carreira durante o festival, em 2017, na área da lateral do Centro de Eventos do Ceará. A imagem reflete uma história de pescador e possui 2.970 metros quadrados. Durante a edição atual, o artista pintará a lateral do prédio da Associação Cearense de Imprensa (ACI, na Rua Floriano Peixoto, Centro).

Força

Indagado sobre o apelo político da expressão dos artistas urbanos, Grud observa a força do grafite. "A arte urbana é um pouco mais forte porque tá na rua, né? É pra pobre, rico, preto, branco. Ela é direta, vem do gueto. Hoje, ela está domesticada nas novelas, na publicidade, nos filmes, mas o leão nunca deixa de ser leão", reflete o diretor do Concreto.

Legenda: Mural produzido por Speto (SP) na lateral do Centro de Eventos, na edição de 2017, é o maior da carreira do artista

Para Fortaleza, ele percebe que o Concreto integra um movimento forte no cenário local de arte urbana. São Paulo, segundo ele, ainda é a "meca" desse fazer artístico. Porém, a capital cearense já caminha como referência nacional na rota do grafite.

"O ano inteiro recebo comunicações de artistas, produtores, estudantes e outros apreciadores, do Brasil e de fora do País, todos querendo participar do festival. E isso motiva", revela Grud.

Serviço 
Festival Concreto 2019 

De hoje (1º) até 9 de novembro, em diversos locais de Fortaleza. A abertura acontece nesta sexta, às 20h, no Centro Cultural Belchior (Rua dos Pacajus, 123, Praia de Iracema). Acesso gratuito. Contato: www.festivalconcreto.com.br  

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?