Como ficam as celebrações de casamento durante a pandemia

Home Wedding é opção para casais que não querem cancelar a união.

Foto: Divulgação

Celebrar o casamento em tempos de pandemia é começar uma jornada a dois com resiliência e criatividade para se adaptar às mudanças. A fisioterapeuta Hergleyci Linhares e o auxiliar de logística Breno de Freitas, ambos de 24 anos, tinham tudo planejado para a realização do casamento em 25 de abril: uma linda festa no gramado de um parque ecológico, com decoração estilo Boho Chic, e a presença de amigos e familiares que viriam de outros estados. Mas a quarentena obrigou o casal a mudar os planos e a se reinventar: casaram em casa, com portas abertas, na presença de uma celebrante e duas testemunhas. Não faltou amor e vontade de estarem juntos.

“Aquele momento nos mostrou que o nosso amor é tão forte e verdadeiro que prevaleceu diante de todas as circunstâncias”, relata Hergleyci Linhares. A celebração de casamento foi com efeito civil, pois o casal já tinha feito todos os processos no cartório e optaram por manter a data. “Decidimos realizar na nossa casa e tomamos algumas medidas preventivas, como o uso de máscaras e álcool em gel. Tivemos também a troca de alianças, assinatura do termo de casamento e o cumprimento das testemunhas foi com os cotovelos, seguindo as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS)”, conta.

Legenda: Casal Hergleyci e Breno oficializam a união com a celebrante Malu Cavalcanti.

A festa de casamento foi adiada para setembro, mantendo todos os contratos com os fornecedores. O adiamento da festa é o que recomenda a cerimonialista Malu Cavalcanti (@malu_eventos), celebrante de casamentos e instrutora no segmento Turismo, Eventos e Hospitalidade. “Com a proibição de aglomerações e o isolamento social imposto pela pandemia do coronavírus, o sonho não foi cancelado, apenas adiado, reformulando o planejamento dos noivos e se adaptando à nova realidade, decidindo que a festa com os familiares e amigos seja realizada quando tudo estiver seguro para sua concretização. Mas muitos casais mantêm seus casamentos na data prevista de uma forma mais intimista, apenas com as presenças da celebrante e das testemunhas. O amor vence o vírus”, testemunha Malu Cavalcanti.
 

Cerimônia em casa

De acordo com a cerimonialista, para não cancelar a cerimônia, os noivos podem investir em opções seguras de celebração. “O home wedding é a pedida da vez para que os casamentos sejam realizados respeitando as recomendações da Organização Mundial da Saúde, na segurança e no conforto da residência dos noivos. Em tempos em que o isolamento social é necessário, a celebração do casamento é realizada com os principais atores desta história: a celebrante, os noivos e as testemunhas”, explica.

De acordo com a profissional, quem já estava com casamento marcado no cartório pode realizá-lo na data acordada, na presença do juiz de paz e de duas testemunhas. Os cartórios são considerados serviços essenciais e estão funcionando em regime de plantão. Quem ainda não deu entrada nos proclamas do casamento civil pode fazê-lo com a documentação exigida (certidão de nascimento atualizada ou averbação do divórcio, RG, CPF e comprovante de residência) no período de 90 a 30 dias antes da data a ser agendada.

Os casamentos anteriormente agendados também podem ser feitos na residência do casal com a diligência do juiz de paz ou com a condução da celebração com efeito civil de uma celebrante habilitada. “Caso a cerimônia seja realizada em formato home wedding, os noivos devem solicitar a celebração do casamento com efeito civil para que o termo de casamento seja assinado no dia e horário solicitados pelo casal, em ambiente aberto, de portas abertas”, destaca Malu Cavalcanti. Ela ressalta que em casa são permitidas até 10 pessoas.

Cuidados necessários

Com a pandemia, casar em casa também foi a maneira que a analista financeiro Katiuscia Ferreira de Freitas, de 42 anos, e o vendedor José Luiz Freitas dos Santos, de 32 anos, encontraram para realizar o casamento, marcado para o próximo dia 24 de maio. “O que mudou foi o plano da festa, mas o casamento em si não cancelamos. Decidimos fazer exatamente no dia que tínhamos determinado para casar, mas na nossa casa, com apenas oito pessoas. Algo bem simples, só para assinar o contrato de casamento, porque o cartório não faz prorrogações”, explica.

Mesmo sendo em casa, com poucas pessoas presentes, a cerimônia precisa atender as recomendações de segurança para evitar riscos de contaminação. “Nesse dia, vamos estar protegidos com máscaras, teremos álcool em gel e nos manteremos em uma distância segura.  Será uma cerimônia rápida, para evitar os perigos da pandemia”, afirma Katiuscia Ferreira.

Legenda: Katiuscia Ferreira: Casar nesse contexto, com pandemia, tem um significado maior.
Foto: Divulgação

Para ela, o casamento em tempos de pandemia ganha um significado ainda mais forte. “Casar quando tudo está favorável é lindo. Mas casar nesse contexto, com pandemia, crises, mortes e tantas coisas ruins acontecendo, tem um significado maior, mais desafiador, de que, apesar de tudo, nós conseguimos, apesar de tudo o nosso amor vai ser concretizado oficialmente no dia que a gente marcou para ser”, reflete. Para ela, a mudança da data da festa vai permitir incrementar ainda mais a celebração. “Prorrogar teve seu benefício. Em tudo na vida, temos que ver o lado bom”, avalia.