Recado ao presidente Marcelo Paz

Confira a coluna deste sábado (18)

Marcelo Paz mantém semblante sério em entrevista
Legenda: Marcelo Paz é o atual presidente do Fortaleza, com gestão até o fim de 2024
Foto: Fabiane de Paula / SVM

As preocupações com o destino do Fortaleza procedem. A continuar assim, estará a caminho da Série B. Digo ao Presidente Marcelo Paz: está na hora de uma tomada de decisão. O senhor, mais que qualquer torcedor, lembra das humilhações que o Fortaleza passou nos oito anos de Série C. Foi levado na galhofa. Também passou pelas agonias de uma segunda divisão, de onde finalmente subiu para as glórias da Série A.

Daí, como quarto melhor time do Brasil, foi guindado à Libertadores. Presidente, o senhor não vai querer passar pelas amarguras de um rebaixamento; logo o senhor, que viveu e foi responsável pelas maiores conquistas do Leão nos últimos anos. Marcelo, eu sei que o senhor tem sofrido muito, pensando no que virá. Mas creio que o senhor tem na manga a carta que poderá mudar o rumo das coisas. Foi o senhor que trouxe e apostou no técnico Rogério Ceni, quando o Fortaleza tateava na busca de um treinador. Foi o senhor que “repatriou” Ceni, quando ele saiu do Cruzeiro. Foi o senhor que, como quem acha uma agulha num palheiro, achou Vojvoda para substituir o insubstituível Ceni. Presidente, a torcida espera de sua parte mais uma cartada genial. Também espero. Antes que seja tarde... 

 

Prioridade 

 

A partir de agora, a prioridade do Fortaleza tem que ser o Campeonato Brasileiro. Em primeiro lugar, o Campeonato Brasileiro. Em segundo lugar, o Campeonato Brasileiro. Em terceiro lugar o Campeonato Brasileiro. Depois as demais competições. Não digo que vá desleixar de vez na Libertadores e na Copa do Brasil. Não é isso. Mas a prioridade tem que ser a Série A nacional. E pronto. 

 

Velocidade 

 

Muita gente pergunta a razão pela qual o Fortaleza, quase com o mesmo elenco, desencantou, perdeu o brilho. Observem que a intensidade deixou de existir na medida operada no ano passado. O que fazia a diferença era a intensidade permanente. Hoje, a velocidade não é a mesma. A intensidade também não é a mesma. Os atletas não estão na mesma forma física de antes. 

 

Orientação 

 

Se o time do Fortaleza tivesse direito a um descanso duradouro, certamente voltaria com o mesmo oxigênio de 2021. Ao Fortaleza está faltando um repouso prolongado para recarregar de vez as baterias. Nos curtos intervalos, não há como repor as energias perdidas. Querem uma prova concreta, irrefutável? Darei no tópico seguinte. 

 

Prova 

 

No Maracanã, diante do Flamengo, o Fortaleza fez uma partida memorável. Marcou o tempo todo. Correu o tempo inteiro. Até colocou o Flamengo na roda. Desgaste físico incrível. No jogo seguinte, no Castelão, diante do Goiás, não conseguiu repetir o ritmo forte. Resultado: só empatou. O mesmo se pode dizer do empate com o Athletico-PR. Não há quem repita três jogos em alta performance.